Seminário avança sobre questões que envolvem adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas

Seguem nesta sexta-feira (16.8), na Capital, as discussões do seminário coordenado pela Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), com foco nos adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas. As discussões do evento já mostraram, por exemplo, que em 2018 mais de 21 mil adolescentes em MS cumpriram algum tipo de medida socioeducativa.

 

Profissionais dos 79 municípios do Estado, que atuam direta ou indiretamente nos serviços socioassistenciais de atendimento aos adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas em meio aberto, participam do evento.

 

Na abertura do seminário, ocorrida ontem, a superintendente da Política de Assistência Social da Sedhast, Salette Marinho de Sá, pontuou a importância do momento. “Estou muito feliz, muito grata por esse momento. É muito importante o gestor municipal acompanhar momentos como esse, pois é no município que acontece tudo. Mais uma vez reafirmo nosso compromisso, enquanto Secretaria de Estado, com os municípios de MS. Nós precisamos desse mergulho, dessa dedicação para juntos pensarmos como atuar no plano de atendimento socioeducativo, com cada um de nós falando do lugar de onde está. Esse é o nosso maior compromisso, de entender onde estamos e o que podemos fazer. Precisamos acolher esses adolescentes e suas famílias”, declarou.

 

Para o defensor público-geral de Mato Grosso do Sul, Fábio Rogério Rombi da Silva, é o momento de reafirmar os compromissos e buscar caminhos para esses adolescentes. “Na qualidade de defensor público-geral do Estado fiz questão de estar presente na abertura deste evento para materializar e deixar claro que a Defensoria Pública de MS assume compromisso formal para com a causa da infância e da adolescência em nosso Estado de MS. Nós estamos perdendo nossos adolescentes para o mundo do crime. Nós precisamos tentar reverter esse quadro e o trabalho de todos nós é muito relevante. Os nossos jovens precisam de nosso apoio para se reerguer e encontrar novas alternativas. Nós temos a capacidade e a missão para executar esse trabalho”, disse.

 

O coordenador da Escola de Conselhos da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Angelo Motti, destacou a importância do encontro e as reflexões que com ele podem surgir. “Ainda vivemos sob um império de uma cultura que delega sempre ao poder público resolver todos os problemas. A sociedade pouco ainda se percebe nesse processo, como tal a comunidade e a família tem essa cultura muito forte de transferir pros entes públicos essas questões. Sempre é bom a gente refletir as nossas práticas, nosso cotidiano, novas possibilidades e a universidade é sempre muito parceira nesse processo. Esse evento tem essa marca de colocar o conhecimento à disposição e também de levar para as universidades as realidades de cada município. Parabenizo a Sedhast pela realização deste momento”, pontuou.

 

Também compuseram a mesa de abertura do evento o deputado estadual, Lídio Lopes; Maria Cristina Gomes, presidente do Conselho Estadual de Assistência Social (CEAS/MS); Fabrícia Lima, representante do Ministério Público de MS; Marta Santana, assistente social da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e Oraldino Centurião, representante do Colegiado Estadual de Gestores Municipais da Assistência Social de Mato Grosso do Sul (Coegemas/MS).

 

Mesa de abertura do evento contou com representantes do poder público e da sociedade civil.

 

Nesta sexta-feira, último dia do evento, estão previstas discussões que envolvem temáticas como a “Ações de Esporte e Lazer para Adolescentes em cumprimento de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto” e o “Plano de Atendimento Socioeducativo”.

 

Clique aqui e confira a programação completa

Assomasul: Prefeito Pedro Caravina diz que não cabe mais administração pública sem excelência de gestão

O presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Pedro Caravina, disse na quarta-feira (14), durante abertura do Fórum de Fortalecimento da Rede + Brasil Etapa MS, que não cabe mais administração pública sem excelência de gestão.

 

O evento foi aberto pela manhã no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande, com a presença de autoridades estaduais e nacionais.

 

O fórum é promovido por meio de parceria entre o governo do Estado, o Ministério da Economia e a Assomasul com objetivo de fortalecer a gestão pública usando uma única plataforma para obtenção de recursos financeiros oriundos de transferências voluntárias.

 

O dirigente municipalista elogiou a nova plataforma dizendo que ela, além de outros fatores importantes, não é engessada, aceita sugestões de propostas em torno de eventuais mudanças visando seu aprimoramento.

 

 

Caravina enalteceu as parcerias públicas, lembrando a boa experiência que teve em 2013, ainda no seu primeiro mandato como prefeito de Bataguassu, com o Siconv (Rede de Convênios), o qual, mais tarde, já como presidente da Assomasul, passou para os demais municípios por meio de cursos de capacitação realizados em todas as regiões do Estado.

 

Disse que à época contou com o notório trabalho de Luiz Carlos Morente, coordenador da Rede Siconv no Estado, aquém fez boas referências em sua fala.

 

“Não cabe mais administração pública sem excelência de gestão. A política mudou, a gestão pública mudou, o administrador público, lógico, ele é um agente político, mas tem que se aproximar daquilo que é melhor para a população através de resultados e, para ter resultados precisa de números, para ter número a gente precisa de ferramenta. Assim como o Siconv aprimorou a sua ferramenta, esta ferramenta de gestão (Rede + Brasil) vai auxiliar, avaliar como está a sua gestão, prefeitos e prefeitas, e fazer com que possa melhorá-la”, acrescentou.

 

Ele lembrou que há dois anos o Siconv era pouco explorado, uma vez que era usado praticamente para se conseguir emendas parlamentares, embora tinha muito mais a oferecer, principalmente os recursos disponibilizados nos ministérios que dependiam da apresentação de projetos.

 

“Ao assumir a Assomasul, seria egoísmo de nossa parte se não auxiliássemos os demais prefeitos para que eles pudessem utilizar a plataforma e trazer investimentos para seus municípios. Aí fizemos uma parceria com o governo, fizemos a capacitação nas regiões, onde vários municípios estão se cadastrando, isso é muito importante para trazer mais recursos para Mato Grosso do Sul, discursou.

 

 

Modelo atual

 

Na prática, o evento pretende debater caminhos para melhorar a gestão dos recursos, dar maior transparência ao uso do dinheiro público e ter mais efetividade nas políticas públicas implementadas com verba da União.

 

Caravina disse que o novo modelo é muito mais amplo e o Siconv vem dentro desta Plataforma.

 

“Acho que é importantíssimo esse Fórum em Mato Grosso do Sul, esperamos que tenhamos ótimas ideias, não é um projeto engessado, aceita sugestões, aquilo que puder ser implementado a gente vai fazer e depois levar cursos de capacitação dessa Plataforma para os municípios com mais uma parceria com o ministério da Economia e do governo do Estado com apoio da Assembleia e de outros órgãos”, finalizou Caravina.

 

Conforme o coordenador da plataforma em MS, Luiz Carlos Morente, Mato Grosso do Sul é recordista em projetos firmados com o Governo Federal no período 2015/2017 e um superlativo de 249 convênios aprovados pela União, que garantem repasses de verbas a serem destinadas para as áreas de saúde, saneamento e infraestrutura.

 

“Quando pensamos em trazer esse fórum para Campo Grande, foi com o intuito de auxiliar na gestão através da integração e compilação de boas práticas de gestão, visando o aprimoramento organizacional, ao aperfeiçoamento dos fluxos e práticas, e o aumento da capacidade de geração de valor”, definiu Morente.

 

Fonte: Assomasul