Crime organizado leva prejuízo de R$ 40 milhões com apreensões de drogas em Mato Grosso do Sul

A Polícia Militar de Mato Grosso do Sul apreendeu 37,6 toneladas de drogas no primeiro quadrimestre de 2020. As operações foram deflagradas pelo Batalhão de Polícia Militar Rodoviária (BPMRv), responsável pelo monitoramento de 15 mil quilômetros de rodovias estaduais e que resultou na interceptação de carregamentos no Estado. As apreensões resultaram em prejuízo estimado em R$ 40 milhões às organizações criminosas.

 

Para o comandante da PMR, tenente-coronel Wagner Ferreira da Silva, o tráfico de drogas aumenta o poder financeiro das organizações criminosas. “As ações interrompem um ciclo criminoso, descapitaliza o crime organizado e contribui diretamente para diminuição da violência urbana”.

 

Conforme o balanço da PMR, as apreensões realizadas nos primeiros meses do ano, resultaram no registro de 93 flagrantes e na apreensão de 72 veículos, dentre eles oito caminhões/carretas e três motocicletas. Cerca de 99% da droga apreendida nestes veículos era maconha e seus derivados. Quanto as prisões, 129 pessoas foram encaminhadas para o sistema prisional pelo crime de tráfico de drogas, dos quais 73,6 % são homens.

 

O setor de inteligência ainda identificou que há uma rede de apoio onde as quadrilhas usam os chamados “batedores” e “olheiros”, que monitoram a atividade policial buscando facilitar o transporte e a passagem do entorpecente pelo Estado.

 

Droga escondida em carregamento de grãos apreendida pela Polícia Militar Rodoviária

 

As ações das quadrilhas também se diversificam a cada dia. Destaque aos chamados “cavalos doidos”, que circulam sem sequer tomar cuidado de ocultar o entorpecente e andam em alta velocidade nas rodovias. E há também os chamados “mocós”, que ocultam o entorpecente em grandes cargas de soja e milho trazidas por caminhões e carretas.

 

Entre as ações apontadas pela PMR para o aumento nas apreensões de drogas estão a instalação do Programa Nacional de Segurança nas Fronteiras e Divisas (Vigia), do Ministério da Justiça e Segurança Pública, que há oito meses vem auxiliado o Estado na redução da vitalidade financeira das organizações criminosas, por meio da Operação Hórus, o fechamento das fronteiras e as medidas de isolamento social adotadas por muitos municípios que reduziram o fluxo de veículos nas estradas e permitiu melhor seleção das abordagens policiais em ações de polícia ostensiva.

 

Sem contar o emprego eficaz do efetivo policial militar em ações ostensivas, nas barreiras sanitárias e pontos sensíveis das rodovias estaduais, fruto de um detalhado plano de ação operacional, dentre outros fatores.

Prefeitura de Corumbá anuncia que desenvolve ações para garantir combate permanente às queimadas no Pantanal

O prefeito Marcelo Iunes determinou à Agência Municipal de Proteção e Defesa Civil de Corumbá que faça o monitoramento diário dos focos de queimadas registrados no Município. O acompanhamento permitira à prefeitura ter o conhecimento real da situação e articular, junto a órgãos parceiros, ações de prevenção e controle aos focos de incêndio florestal.

 

Iunes destacou que os focos de queimadas registradas em Corumbá nos primeiros quatro meses de 2020 são uma situação atípica para esta época do ano. Como o Município deve contar com as Brigadas do Prevfogo somente no segundo semestre, o prefeito entende ser necessário o monitoramento diário da situação para a tomada de ações.

 

“Já orientamos à Defesa Civil para que monitore a situação, bem como a Fundação do Meio Ambiente. É preocupante, temos focos surgindo diariamente e muito próximo da área urbana, a fumaça pode causar problemas de saúde na nossa população”, disse o prefeito. Iunes antecipou que entrou em contato com o deputado estadual Evander Vendramini para que o parlamentar leve a questão à Assembleia Legislativa e autoridades estaduais.

 

Marcelo Iunes ainda salientou que a Prefeitura de Corumbá está à disposição para apoiar iniciativas de combate e prevenção às queimadas na região pantaneira. De acordo com o prefeito, o Município pode atuar nas ações sempre respeitando as atribuições e competências de atuação de cada esfera governamental.

 

Segundo a diretora-presidente da Fundação de Meio Ambiente do Pantanal, Ana Cláudia Boabaid, o incêndio atual está concentrado na região da APA Baía Negra, onde há um grande esforço dos bombeiros e agentes do Ibama. “A mudança do vento acabou trazendo essa forte fumaça aqui para a área urbana”, disse.

 

A diretora-presidente informou que a Prefeitura já trabalha na reestruturação do Comitê de Combate ao Fogo, formado por vários órgãos diretamente ligados ao tema, para definir alternativas viáveis para a região, como a manutenção permanente da Brigada do Prevfogo em Corumbá. “Esse comitê deve ser criado por Lei Municipal e terá todo seu regimento atualizado. Com ele novamente funcionando, vamos encaminhar um relatório detalhado a Brasília e defender a permanência do Prevfogo em Corumbá”, completou Ana Cláudia.

 

No mês passado, uma Força-Tarefa – com a participação de aviões do Corpo de Bombeiros de Mato Grosso e Distrito Federal; helicóptero da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul e mobilizando 37 bombeiros e brigadistas – combateu focos de queimadas no Parque Nacional do Pantanal, entre Corumbá e Poconé (MT), e na região da Baia Vermelha, próxima à fronteira com a Bolívia.

 

De acordo com o INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Corumbá lidera o ranking nacional de focos de queimadas por município. Ao longo de todo o ano, o INPE contabilizou 1.368 focos de incêndios florestais na cidade. Somente em maio, Corumbá registrou 65 focos.

Trânsito: Maio Amarelo 2020, movimento internacional, terá formato digital por conta de pandemia, anuncia Detran-MS

Assim como várias outras atividades programadas no calendário deste ano, o Maio Amarelo, movimento internacional de conscientização para reduzir o número de acidentes de trânsito, também vai sofrer alterações em seu formato habitual. Para 2020, o Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul), vai apelar para campanhas em formato digital, abrindo mão das atividades ao ar livre desenvolvidas todos os anos anteriores. A medida, segundo o diretor-presidente do órgão, Rudel Trindade, se faz necessária neste momento de pandemia em que a principal orientação é para que evitemos aglomerações.

 

“Nós já viemos com esse alerta desde o finzinho do mês de março quando fomos obrigados a baixar as portas de nossas agências em função da pandemia do Novo Coronavírus. Não seria diferente neste momento em que, apesar de termos retomado o atendimento, mantemos todos os cuidados recomendados pelas autoridades em saúde”, alertou Rudel.

 

O presidente também comentou o tema escolhido para este ano, como bastante oportuno. “Evite o risco, preserve a vida” é uma maneira de mencionar também a necessidade de não se arriscar não apenas no trânsito, mas com saídas desnecessárias de casa, já que a transmissão do novo coronavírus tornou-se comunitária no último mês.

 

De acordo com o presidente, as ações que ocorreriam normalmente foram substituídas por campanhas digitais com vídeos e cartazes divulgados nas redes sociais do Departamento.

 

Para a diretora de Educação para o Trânsito do Detran-MS, Elijane Coelho, o cuidado que todos estão tendo em relação a evitar situações de risco de contágio do também chamada covid-19, deve ser transposto para as situações do trânsito. “É isso que faremos neste mês, através das redes sociais. Incentivar as pessoas a terem o mesmo cuidado consigo e com o outro que estamos tendo na pandemia para o trânsito, sempre”.

Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos e Aneel atuam de forma coordenada em teletrabalho de fiscalização

Mesmo com o cenário provocado pela pandemia do novo coronavírus, a Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos (Agepan) e a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) dão andamento ao planejamento e execução de atividades programadas para este ano, dentro do convênio de descentralização que garante a fiscalização dos serviços de geração e distribuição de energia em Mato Grosso do Sul.

 

Alinhado à sistemática estabelecida pelo Governo do Estado como medida preventiva de disseminação da Covid-19, o trabalho remoto tem sido eficiente, com organização e uso dos meios digitais. Em um mês desse modelo de atuação, entre o fim de março e a primeira quinzena de abril, foram realizadas ao menos quatro reuniões integradas entre as duas agências, além das teleconferências internas entre a própria Diretoria do setor e a equipe da Câmara Técnica de Energia e Câmara de Regulação Econômica de Gás e Energia. Os trabalhos continuam, com pautas importantes como a discussão de ações decorrentes da resolução normativa 846/2019 da Aneel, que estabeleceu novos procedimentos, parâmetros e critérios para a imposição de penalidades aos agentes do setor de energia elétrica. O novo normativo entrou em vigor em dezembro de 2019.

 

 

Distribuição e geração

 

Um dos produtos contratados com a Superintendência de Fiscalização dos Serviços de Eletricidade (SFE), no Contrato de Metas Agepan/Aneel 2020, é o desenvolvimento de novos Procedimentos de Fiscalização. A equipe da agência de Mato Grosso do Sul está trabalhando nesse desenvolvimento em articulação com as agências estaduais de Mato Grosso (Ager/MT) e do Ceará (Arce), utilizando a plataforma Teams, a mesma de interação com a Aneel, para as reuniões on line.

 

Pela mesma ferramenta de comunicação, no setor de geração o teletrabalho integrado permitiu discussões com a Superintendência de Fiscalização da Geração (SFG), para tratar das inspeções de usinas em implantação, de Usinas Termelétricas e do retorno às usinas fiscalizadas na campanha de Segurança de Barragens.

 

“Após o primeiro mês de teletrabalho, constatamos o quanto a equipe pode ser produtiva mesmo nessas condições diferenciadas, utilizando ferramentas adequadas e tendo disciplina”, avalia o diretor de Gás e Energia, Valter Almeida da Silva.

 

 

Como resultado do mesmo período de teletrabalho com a Aneel, foi definida autorização da SFE para a Agepan retornar ao Acompanhamento do Plano de Resultados da distribuidora Energisa MS, uma forma de fiscalização por monitoramento. Enquanto perdurar o cenário de necessidade de isolamento social, parte desse trabalho envolverá reuniões virtuais com a distribuidora e apresentação remota de resultados à Aneel.

 

Experiência inovadora

 

Desde que foi decretado pelo Governo do Estado o Regime Excepcional de Teletrabalho, a equipe da área de energia, como toda a Agência, de modo geral, tem atuado para superar as dificuldades naturais da impossibilidade do exercício presencial. A experiência inovadora com o trabalho remoto começou como uma necessidade, forçada pelas circunstâncias, e se revelou um grande desafio, que a equipe está vencendo.

 

O fato de que a condição excepcional também atingiu os servidores da Aneel, com o qual a agência trabalha em cooperação, por convênio do Estado, foi um facilitador. A agência federal já adotava a Plataforma Teams, da Microsoft, e a utilização foi expandida para todas as atividades nesse período: comunicação, troca de arquivos, reuniões virtuais, chats, disponibilização de documentos. “Reuniões online, ferramentas de tecnologia, sistemas de comunicação à distância são alguns dos elementos a que todos estão tendo que se adaptar. E o resultado é que a dificuldade tem se tornado em oportunidade”, analisa o coordenador da Câmara, Paulo Patrício da Silva.