Sem previsão de chuvas na região do Pantanal, força-tarefa intensifica ação em 7 frentes para combater focos de incêndio

Com previsões meteorológicas indicando maior concentração de chuvas em algumas regiões de Mato Grosso do Sul somente a partir do dia 20 de outubro, o tempo seco e a baixa umidade relativa do ar continuam sendo os maiores desafios da força-tarefa criada pelo Governo do Estado para combater os incêndios florestais, especialmente no Pantanal.

 

O esforço do Estado para controlar os focos de calor, que se propagam pelas condições climáticas extremas, reúne a maior estrutura humana e de aeronaves já criada em Mato Grosso do Sul para esse tipo de ação em defesa do meio ambiente e das comunidades que se instalaram ao longo dos rios.

 

São mais de 120 homens e mulheres, entre militares e civis, sete aeronaves e dezenas de viaturas de médio e grande porte. Atualmente, essas forças, que compõe a Operação Pantanal II, sob a coordenação da Marinha e do Governo do Estado, se concentram em sete bases estratégicas para facilitar deslocamentos e ações rápidas, a maioria no Pantanal de Corumbá.

 

Sete frentes de combate

 

 

Bombeiros de Mato Grosso do Sul, do Paraná e Santa Catarina e brigadistas da Força Nacional, Marinha, Exército, Ibama e ICMbio, além de voluntários de entidades não-governamentais, estão distribuídos em Corumbá (cidade), Serra do Amolar , Fazenda Bodoquena (combate no Parque Estadual do Rio Negro), Estrada-Parque, Porto Esperança e região Nordeste/Leste do Estado, onde ocorrem incêndios em florestas plantadas e parques estaduais do Taquari e Ivinhema).

 

Durante live transmitida pelo Governo do Estado, por meio da Semagro (secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), na tarde desta quinta-feira, o tenente-coronel bombeiro Waldemar Moreira informou que de janeiro até esta data foram registrados 42.193 focos de calor nos pantanais de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

 

Destes, 7.176 se concentraram em Corumbá, maior município do Estado e com maior área do Pantanal, representando 36,7% do total. Na sequencia, aparece Poconé (MT), com 4.630 focos (23,7%), e Barão do Melgaço (MT), com 3.657 (18,5%). O total de área queimada no Pantanal corresponde a 211,8% de sua área, sendo o bioma mais impactado, embora em terceiro em números de focos. Primeiro, Amazônia, depois, Cerrado.

 

“Apesar desses números alarmantes, que demonstram a gravidade de uma seca recorde, os esforços governamentais e da sociedade civil tem conseguido ainda preservar mais de 71% do Pantanal, mesmo em regiões onde o combate é difícil pela distância, falta de acesso e tipo de topografia, como a região do Amolar”, explicou o tenente-coronel Moreira.

 

Ivinhema: chuva reduz focos

 

O oficial relatou que em Naviraí, onde se concentra uma tropa de combate aos focos, a chuva ajudou a reduzir a força incontrolável dos incêndios no Parque Estadual das Várzeas do Ivinhema. Não ocorreram, no entanto, precipitações no Pantanal, exceto na área urbana de Corumbá, onde, na quarta-feira, choveu apenas 0,6 milímetros.

 

Ao participar da live, o contra-almirante Sérgio Guida, comandante do 6º Distrito Naval da Marinha, com sede em Ladário, disse que a Operação Pantanal II vem logrando êxito no combate e prevenção aos focos de calor em todo o bioma. Salientou que a extinção dos incêndios somente ocorrerá com chuvas volumosas, devido à intensidade da estiagem na região.

 

“Estamos com uma grande força em campo, onde a Marinha apoia não apenas com tropa mas colocando aeronaves para deslocamento de brigadistas para áreas de grandes distâncias, e devemos manter atenção redobrada na Serra do Amolar, onde a operação está com mais de 40 combatentes e aeronaves. A prevenção deve ser o foco”, observou.

 

A coordenadora do Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima (Cemtec), Franciane Rodrigues, também contribuiu com o balanço apresentado pela Marinha e Corpo de Bombeiros durante a livre, apresentando prognósticos climáticos para o segundo semestre de outubro. Segundo ela, as chuvas mais intensas devem ocorrer nas regiões Sudoeste e Sul (30 milímetros acumulados), a partir do dia 20.

Onda histórica de calor perde força a partir desta sexta-feira em Mato Grosso do Sul, segundo previsões divulgadas pelo Inmet

Depois de uma sequência de quebra de recordes em diversas regiões do País, incluindo Mato Grosso do Sul, a onda de calor começa a perder força. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) foram 14 dias seguidos de temperaturas acima dos 40°C no Estado, sendo oito dias seguidos de máximas iguais ou superiores a 43°C.

 

Nos últimos dias, áreas de instabilidades também foram registradas. Combinadas com a atuação de uma frente fria na área sul e sudoeste do País, essas condições contribuem significativamente para a amenizar as temperaturas. Ainda assim, a intensa onda de calor segue atuando sobre o Estado nesta sexta-feira (9). Para os próximos dias são esperadas temperaturas mais amenas e dentro da normalidade para o período.

 

Para esta sexta-feira (9) a previsão do Centro de Monitoramento do Tempo e do Clima é de céu claro em todas as regiões e sem expectativa de chuva. A umidade do ar ainda se mantém em estado de alerta pela Organização Mundial de Saúde, com índices entre 75% a 20%. A região norte poderá ter picos abaixo de 10%. Nestas condições é recomendado ingerir bastante líquido, fazer refeições leves, evitar exposição direta ao sol, evitar a prática de atividades físicas nas horas mais quentes do dia, e  redobrar atenção com idosos e crianças.

 

Neste dia as temperaturas em Mato Grosso do Sul poderão variar entre de 20°C a 43°C. Para a Capital a mínima esta estimada em 24°C e a máxima em 40 °C.

 

Eleições Municipais: Conheça os candidatos de 2020 e saiba como ver planos de governo de quem disputará as prefeituras

O sistema DivulgaCandContas já pode ser acessado no Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para consultar informações de todos os candidatos que disputarão as Eleições 2020 nos cargos de prefeito, vice-prefeito e vereador nos 5.568 municípios brasileiros.

 

Acesse o tutorial em vídeo produzido pela TV do TSE.

 

Cada candidato tem sua própria página dentro do sistema com informações gerais como nome completo, partido pelo qual está concorrendo, ocupação, nacionalidade, e outros dados pessoais. Além disso, há informações de interesse público como a declaração de bens do candidato, os valores que pretende gastar com a candidatura bem como a prestação de contas com a arrecadação e os gastos durante a campanha.

 

Para acessar, basta escolher a região, em seguida a Unidade da Federação e, então, a busca por município. Após visualizar a bandeira do município, é possível preencher no canto esquerdo o cargo que pretende consultar.

 

Ao abrir a página, deve aparecer a foto do candidato, que é a mesma foto que será mostrada na urna eletrônica na hora da votação. No caso de candidatos a prefeito e vice-prefeito, dentro da página do candidato há um link para a página de seu respectivo companheiro de chapa.

 

Situação do registro

 

A situação do registro do candidato aparece ao lado da foto, além do tipo de eleição à qual ele está concorrendo e um guia sobre os termos, inclusive os jurídicos, utilizados para definir a situação dele perante a Justiça Eleitoral.

São três os principais termos utilizados na ferramenta. Quando o processo é registrado na Justiça Eleitoral, é informada a palavra “cadastrado” e, em seguida, “aguardando julgamento”. Isso significa que o candidato enviou o pedido de registro de candidatura, mas o pedido ainda não foi julgado, ou seja, o processo está tramitando e aguarda análise.

 

Após o processo ser apreciado pela Justiça Eleitoral, o registro pode ser considerado “apto” ou “inapto”. Caso o candidato preencha todas as condições de elegibilidade, isto é, não tenha nenhuma contestação e o pedido tenha sido acatado, a situação que aparecerá no sistema será “apto” e “deferido”.

 

Outro caso é quando o candidato aparece como apto, mas houve impugnações e a decisão é no sentido de negar o registro. Nesse caso, a situação será “apto”, e o complemento será “indeferido com recurso”. Por outro lado, existe o caso do candidato que apresentou o registro, e as condições de elegibilidade avaliadas foram deferidas pelo juiz; contudo, o Ministério Público Eleitoral (MPE) ou o partido recorreu da decisão. Nessa hipótese, a condição será “apto” e “deferido com recurso”.

 

Na situação de registro julgado como apto, ainda existem as possibilidades de “cassado com recurso” ou “cancelado com recurso”. Isso ocorre quando o candidato teve o registro cassado ou cancelado pelo partido ou por decisão judicial, porém apresentou recurso e aguarda uma nova decisão.

 

Por fim, também consta do sistema a condição de “inapto”, com os complementos: “cancelado”, quando o candidato teve o registro cancelado pelo partido; “cassado”; “falecido”; “indeferido”, quando o candidato não reuniu as condições necessárias ao registro; “não conhecimento do pedido”, candidato cujo pedido de registro não foi apreciado pelo juiz eleitoral; e “renúncia”.

 

Fonte: TSE

Guanandizão será reinaugurado com presença de público na Supercopa de Vôlei, mas com regras de biossegurança

Com protocolos rígidos de biossegurança, a reinauguração do Ginásio Poliesportivo Avelino dos Reis, o Guanandizão, terá a presença de público durante a realização da Supercopa de Vôlei 2020, em Campo Grande. A competição de clubes, que abre a temporada nacional do voleibol, terá o principal complexo esportivo sul-mato-grossense como palco, nos meses de outubro e novembro. O lançamento oficial do evento foi feito ontem (8), em solenidade na Governadoria, entre Governo do Estado, Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e Prefeitura de Campo Grande.

 

O torneio é realizado anualmente e reúne quatro das principais equipes do Brasil, colocando frente a frente os atuais vencedores da Copa Brasil e da Superliga Banco do Brasil. A disputa pelo título, em ambos os gêneros, ocorre em jogo único.

 

O primeiro campeão nacional da temporada 2020/21 será conhecido em 30 de outubro. No masculino, EMS Taubaté Funvic (SP) e Sada Cruzeiro Vôlei (MG) duelam às 20h30 (horário de MS). Já a disputa feminina será entre Dentil/Praia Clube (MG) e Sesc Flamengo (RJ), no dia 6 de outubro, no mesmo horário. Os dois confrontos terão cobertura televisiva do SporTV 2, canal por assinatura pertencente ao Grupo Globo.

 

Os preparativos para sediar a competição que abre a temporada do vôlei nacional estão sendo finalizados

 

A expectativa é de que o ginásio, totalmente reformado pela administração estadual em parceria com a Prefeitura, receba cerca de 600 pessoas durante a Supercopa. “Estamos nas tratativas finais junto à CBV e Prefeitura, e elaborando protocolos de biossegurança extremamente rígidos, devido à Covid-19, para termos de 8% a 10% da capacidade do Guanandizão voltada ao público. É uma forma experimental para marcar a retomada de eventos com espectadores, priorizando essencialmente a segurança da população”, explicou o diretor-presidente da Fundação de Desporto e Lazer de Mato Grosso do Sul (Fundesporte), Marcelo Ferreira Miranda.

 

O secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel, observou que Mato Grosso do Sul é referência no combate à pandemia de Covid-19. Segundo ele, a abertura de eventos ao público é extremamente simbólica ao processo de retomada das atividades esportivas e culturais, desde que feita baseando-se em relatórios científicos e com orientação de profissionais e técnicos da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

 

“Com base na ciência, Mato Grosso do Sul sempre teve muita cautela e seriedade na forma de conduzir suas atitudes em relação à pandemia. Não à toa, temos obtidos resultados positivos no enfrentamento à Covid-19. Então, não é surpresa conseguirmos fazer um evento esportivo com a presença de público, porque sabemos da responsabilidade que o Governo tem com protocolos sanitários”, afirmou o secretário.

 

Com forma de valorização a ex-atletas, o objetivo é convidar personagens do esporte que fizeram parte da história da principal praça poliesportiva do Estado, em várias modalidades. “São pessoas que merecem estar no Guanandizão novo. O ideal seria abrir à população em geral, mas infelizmente a pandemia não nos permite. Sem a venda de ingresso, vamos chamar as federações esportivas que tiveram vínculo com a história do ginásio e combinar a distribuição de convites”, destacou o diretor-presidente da Fundação Municipal de Esportes de Campo Grande (Funesp), Rodrigo Terra.

 

Reinauguração em grande estilo

 

O maior ginásio coberto de Mato Grosso do Sul passou por modernização em sua estrutura e está alinhado ao padrão internacional de eventos, graças ao projeto de reforma geral e adequação realizado pelo Governo, junto à Prefeitura Municipal de Campo Grande. A reforma teve investimento de R$ 1,88 milhão dos cofres estaduais.

 

De acordo com o diretor-executivo da CBV, Radamés Lattari Filho, o Guanandizão oferece todas as exigências feitas para sediar eventos nacionais e internacionais. “É um ginásio de primeiro mundo, de alto nível e que pode receber competições de grande porte de várias modalidades, o voleibol dará apenas o saque inicial para uma série de eventos expressivos no futuro”.

 

A Supercopa 2020, além de relançar o Guanandizão, será o evento-teste para a Liga das Nações, que será realizada entre 11 e 13 de junho do ano que vem. A competição internacional reunirá as seleções masculinas de vôlei de Alemanha, Brasil, Itália e Rússia. O evento tem aporte financeiro do Governo do Estado de R$ 1,3 milhão, repassados à Federação Internacional de Voleibol (FIVB, na sigla em inglês), via CBV.

 

“Com a Supercopa, Campo Grande terá ainda neste ano a presença de inúmeras campeãs olímpicas e do Bernardinho, um dos técnicos mais vitoriosos do mundo. Todos esses atletas e técnicos vão começar a tomar gosto de vir a Mato Grosso do Sul, um Estado que se mostra apaixonado por esportes”, finaliza Lattari Filho.

 

Integrantes do CBV, junto com equipes do Governo e Prefeitura, estiveram no Guanandizão definindo detalhes da competição

 

Após a reunião, o diretor-executivo, acompanhado de diretores técnicos da Confederação, visitou o ginásio para definir os primeiros detalhes da estrutura que será montada pela entidade para a Supercopa. Também vieram à Capital o gerente de eventos da CBV, Cadu Gerônimo, e a gerente de competições de quadra, Cilda D’Angelis.

 

As delegações de EMS Taubaté Funvic (SP) e Sada Cruzeiro Vôlei (MG) chegarão no dia 28 de outubro e, no dia seguinte, será realizado treino de reconhecimento de quadra. O último treinamento será realizado no dia da disputa, 30 de outubro, pela manhã. Uma semana depois, as equipes femininas de Dentil/Praia Clube (MG) e Sesc Flamengo (RJ) seguirão o mesmo cronograma até o confronto decisivo. Ambas desembarcarão na Cidade Morena no dia 4 de novembro.

 

Na sala de reuniões da governadoria também participaram o ex-secretário Especial de Governo, Carlos Alberto Assis; o gerente da Unidade de Esportes de Participação e Lazer (Uepla) da Fundesporte, Rodrigo Barbosa de Miranda; o presidente da Federação Estadual de Voleibol (FVMS), José Amâncio da Mota (“Madrugada”) e o diretor técnico Zacarias Moysés Bacha.