Alunos da Reme resgatam costume dos postais e divulgam potencial de Campo Grande para cientistas e pesquisadores

Escrever postais e encaminhá-los via Correios perderam a força diante da velocidade da internet. Mas não é por isto que o costume deixou de ser um gesto apreciado, tanto para quem escreve, quanto para quem recebe.

 

A prova é a experiência agradável que alunos da Rede Municipal de Ensino tiveram ao escrever cartões postais convidando cientistas e pesquisadores a virem para Campo Grande participar da 71ª Reunião Anual da SBPC, que ocorrerá em julho, na Universidade Federal de Campo Grande.

 

postais3“Confeccionamos 5 mil postais com pontos turísticos de Campo Grande para promover nossa cidade lá fora. A Sectur, junto da Semed, SBPC e UFMS, desenvolve esse projeto maravilhoso envolvendo nossas crianças”, disse a superintendente de Turismo da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, Juliane Salvadori.

 

Em cada postal, para deixar o convite ainda mais atraente, além de pequenos textos, uma imagem diferente do que a Capital tem de mais belo, como a ave-símbolo da cidade a Arara-Canindé, o Ipê Amarelo, Ipê Rosa, Museu José Antônio Pereira e uma imagem aérea das largas avenidas.

 

“Eu disse no postal que Campo Grande tem praças e parques. Convidei ele para conhecer e pesquisa sobre nossa fauna e flora”, conta José dos Santos Neto, aluno da 6ª série da Escola Municipal Hércules Maymone.

 

A professora Sônia Maria Coelho foi quem orientou José. A docente conta que passou para a turma vários vídeos para que eles também conhecessem um pouco mais da história de Campo Grande.

 

“Fizemos debates e antes de os alunos escrevem no postal eles usaram o caderno, antes da transcrição” explica a professora da escola localizada no Bairro Nova Lima.

 

Originalidade e resgate

 

postais4Para os alunos do 7º ano da escola Domingos Gonçalves Gomes, localizada no Jardim Colonial, a oportunidade de escrever os postais representou uma forma de mergulhar nos costumes do passado e entender como a sociedade se comunicava.

 

O aluno Flávio Santacruz Gondim Júnior contou que nunca havia escrito cartas ou cartões postais e relata que só havia observado essa prática em filmes, mas afirma ter adorado a experiência.

 

“Pudemos resgatar um hábito do passado que eu só conhecia pela televisão”, disse. O Mercadão Municipal e o Parque das Nações Indígenas foram os escolhidos de Pedro Henrique, que também elogiou o recém-inaugurado monumento da Maria Fumaça, na Avenida Calógeras. “Adoro o Parque das Nações porque brinco com meu carrinho de rolemã lá”, revelou.

 

A professora de Língua Inglesa Gisele Alves da Silva, que desenvolveu o trabalho com os alunos neste colégio comenta que escolheu o 7º ano porque a turma já desenvolve um projeto de preservação do meio ambiente a partir da construção de vasos de plantas feitos de isopor para serem utilizados na horta da escola. A ideia da professora é inscrever o projeto na 71ª Reunião Anual da SBPC, por isso decidiu engajar os estudantes também na produção dos cartões postais.

 

postais5“Os cartões deram a oportunidade de trabalhar a questão da Língua Portuguesa, onde eles aprenderam o estilo do texto que utilizamos em correspondências desse formato, sem falar na abordagem da Cultura e Geografia local, tudo de forma interdisciplinar”, disse a professora.

 

 

A técnica da Gerência do Ensino Fundamental e Médio da Secretaria Municipal de Educação, Analice Talgati, ressalta a opinião da professora e vai além.

 

“Pelo fato de estarmos em um mundo totalmente tecnológico, onde não exercitamos quase a nossa escrita, a produção dos postais deixa o convite mais pessoal, já que os alunos estão eles mesmos, escrevendo para os pesquisadores que irão nos visitar”, disse.

 

Os 5 mil postais serão entregues à Universidade Federal pela Semed no próximo dia 28 de março. O ato está marcado para ocorrer às 15h30, na reitoria da universidade.

Com presença do ministro Mandetta, secretário de Estado de Saúde faz a entrega de duas UBSF em Bandeirantes

O secretário de Estado de Saúde Geraldo Resende entregou ontem (23) duas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF) em Bandeirantes. “Nossa gestão tem como prioridade a atenção básica. Os municípios são a porta de entrada do SUS”, disse o secretário.

 

O Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, destacou que os municípios serão prioridades do Governo Federal. “Vamos aumentar os recursos destinados a atenção básica no Brasil. Os prefeitos são fundamentais para que o Sistema Único de Saúde funcione”, completou.

 

O prefeito de Bandeirantes, Álvaro Urt, lembrou que a atuação do secretário de Saúde foi fundamental para a realização das obras. “Agradecemos o empenho de Geraldo Resende para que as duas unidades de saúde fossem entregues. O senhor nunca mediu esforços para ajudar os municípios”, destacou.

 

O secretário estadual de Saúde Geraldo Resende afirma que as ações que estão sendo desenvolvidas em Bandeirantes fazem parte da estratégia implantada em sua pasta, com total apoio do governador Reinaldo Azambuja: “Melhorando a estrutura nos municípios, teremos condições de implementar a regionalização, que tanto sonhamos”, concluiu.

 

Uma das Unidades Básicas de Saúde da Família, denominada “Vereador Cido Abdo”, foi construída no Bairro Jardim Nova Bandeirantes, e a outra, “Gedeão Nogueira da Rocha”, vai beneficiar os moradores do Bairro Silvino de Barros e adjacências. A construção dessas unidades foi possível graças à articulação de Geraldo Resende no período em que foi deputado federal junto ao Ministério da Saúde, viabilizadas no Orçamento Geral da União/2013. Cada UBSF demandou um investimento em recursos federais de R$ 408 mil, totalizando R$ 816 mil.

 

Na ocasião também foi anunciado a ampliação da Unidade Mista “João Carneiro de Mendonça”, resultado de uma emenda individual inserida no Orçamento Geral da União/2017, no valor de R$ 250 mil. A Unidade Mista receberá duas novas salas para depósito, uma sala para arquivo de prontuários, uma despensa e estacionamento coberto para ambulâncias e veículos a Unidade.

Para manter o Estado fora de crise, governo retoma as 40h semanais

Os Estados brasileiros conviveram nos últimos quatro anos com graves perdas de receitas. Muitos sucumbiram ao caos da recessão. No entanto, Mato Grosso do Sul realizou neste cenário de dificuldades um conjunto de reformas expressivo, impactante e transformador. Por isso o Estado não cedeu à crise, gerou resultados surpreendentes a bordo da pior recessão da história da República.

 

Para isso, foram necessárias ações contundentes, reformas estruturantes que garantissem que o Estado permanecesse no rumo certo. Desde 2014, o Governo do Estado vem implementando ações com o objetivo de mudar o modelo de gestão –  com focos específicos na redução de despesas e melhoria da qualidade do serviço prestado à população.

 

Entre as reformas já implementadas está a renegociação da Dívida Pública Estadual, para garantir mais espaço fiscal para fazer investimentos; a maior reforma gerencial da história do estado, que reduziu a 9 o número de secretarias e transformou o Mato Grosso do Sul no estado mais enxuto do País – para economizar recursos e racionalizar a gestão; a Reforma do Teto dos Gastos Públicos, que impôs limites de despesas aos Três Poderes, pelos próximos 10 anos; a Reforma da Previdência, que reduziu  pela metade o déficit histórico setorial; a reforma dos Requisitos de Transparência Pública nos procedimentos do estado, que elevou o MS à  posição de  estado mais transparente do país; a criação da Controladoria Geral do Estado e da Ouvidoria Geral do Estado,  instituições de controle e fiscalização das políticas públicas sob a guarda do estado; a aprovação da Lei Anticorrupção e o Fundo Anticorrupção e a revisão dos Parâmetros para a concessão de Incentivos Fiscais.

 

Os servidores públicos não ficaram de fora das ações de Governo. Entre as iniciativas para a profissionalização do serviço público e dos servidores, destaque para a reforma de carreiras, em trabalho compartilhado com as representações sindicais; a regularização da ascensão funcional de diversas carreiras do estado, paralisadas há anos e a instituição do Programa Gestão Por Competência, que estimula a meritocracia no âmbito da administração estadual.

 

Agora, o Governo do Estado dá mais um passo na direção da eficiência e da qualidade do gasto e de um melhor atendimento à população com a reinstituição da jornada de 40 horas semanais – 8 horas diárias em toda a administração pública, ressalvadas as exceções na lei, fazendo cumprir em sua integralidade o que dita a Constituição do Estado.

 

Ao estabelecer o regime de dedicação integral e exclusivo para ocupantes de cargos de confiança e o funcionamento intermitente para as repartições públicas do estado – de 7h30 às 17h30 – o Governo garante mais qualidade no atendimento ao cidadão e gera economia aos cofres públicos.

 

É a resposta à sociedade, que demanda um estado enxuto, leve, que gaste menos com o próprio governo e assim possa investir mais nas pessoas. Um Estado ágil e acessível, que não represente um estorvo na vida das empresas e dos cidadãos. Um Estado transparente em suas decisões, que não teme prestar contas e disponibilizar o destino e a utilização dos recursos públicos. Um Estado eficiente, que transforma gasto e investimento em entregas de qualidade, capazes de mudar para melhor a vida das pessoas.

 

 

Mudanças para o servidor e o Programa de Desligamento Voluntário

 

Cerca de 32,5% dos servidores públicos ativos de Mato Grosso do Sul serão readequados para a jornada de 40 horas semanais (8 horas por dia), dentro da reforma que está sendo proposta pelo Governo do Estado para otimizar as despesas com a folha de pagamento e melhorar o atendimento dos serviços públicos à população. Na prática, os servidores vão voltar a cumprir a jornada para o qual fizeram concurso, igualando a sua carga de trabalho a dos demais trabalhadores brasileiros.

 

Vale lembrar que a mudança na jornada do funcionalismo, de 40h semanais (8 horas diárias) para 30h semanais (6 horas diárias), ocorreu em 2004, e trouxe sérias consequências ao Mato Grosso do Sul, sufocando as finanças públicas e afetando o atendimento à população. O decreto que reduziu a jornada de trabalho não previa qualquer tipo de redução salarial proporcional. Além disso, o Estado ainda se viu obrigado a pagar horas extras para atividades onde o serviço e o atendimento ultrapassavam a jornada reduzida. Havia, ainda, no momento da mudança da jornada, em 2004, a previsão da criação de um Banco de Horas, que, no entanto, jamais foi instalado.

 

A reinstituição da jornada de 40 horas em toda a administração pública, ressalvadas as exceções na lei, faz cumprir em sua integralidade o que dita a Constituição do Estado. O funcionamento intermitente para as repartições públicas estaduais será de 7h30 às 17h30.  Além disso, o Governo estabelece o regime de dedicação integral e exclusivo para ocupantes de cargos de confiança.

 

A intenção do governo estadual é reduzir os gastos com pessoal em função da LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal). O Estado encerrou 2018 acima do limite prudencial. A despesa total com pessoal chegou a R$ 6.223.070.878,82, o equivalente a 57,98% da receita líquida.

 

Para os servidores que não se adequarem as mudanças, o Governo do Estado oferecerá o Programa de Desligamento Voluntário (PDV) como uma opção para quem optar por deixar o serviço público. O projeto está em tramitação na Assembleia Legislativa.

 

O PDV INCLUI:

 

– Indenização de um inteiro e 30 centésimos da remuneração mensal permanente por ano de exercício em cargo público de provimento efetivo na Administração Direta, Autárquica ou Fundacional do estado do Mato Grosso do Sul.

– O incentivo financeiro será pago em parcelas mensais, conforme o regulamento, e na mesma data de quitação da folha dos servidores.

– As parcelas da indenização serão corrigidas mensalmente, a partir da segunda até a última, pelo IPCA.

– O valor de cada parcela mensal de indenização não poderá exceder ao correspondente à remuneração bruta a que fizer jus o servidor.

– Ficam excluídos da remuneração permanente mensal, para fins do cálculo do incentivo financeiro do PDV, as verbas de natureza indenizatórias ou as de caráter transitório, como, por exemplo:

– Adicional de prestação de serviço extraordinário e horas extras;

– Adicional Noturno.

– Adicional de Insalubridade, Periculosidade, ou pelo exercício de atividades penosas.

– Adicional de férias.

– Gratificação Natalina.

–  Salário –família

– Auxílio Maternidade.

– Auxílio Alimentação.

– Auxilio transporte, Indenização de Transporte, e o Vale Transporte.

– Diárias.

– Ajuda de Custo em razão de mudança de sede;

– Auxílio Moradia.

– Gratificação ou indenização de substituição.

– Gratificação de risco de vida.

– Gratificação de Dedicação Exclusiva e a gratificação de dedicação plena e integral, entre outros.

– Para título de cálculo do incentivo financeiro, considera-se remuneração mensal permanente o subsídio com a Parcela Constitucional de Irredutibilidade (PCI), quando houver, e o vencimento base acrescido das vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei, que fizer jus ao servidor.

– Será considerado como tempo de efetivo exercício no serviço público estadual o período em que o servidor esteve em disponibilidade.

– O custeio mensal, pelo prazo de 12 meses consecutivos e subsequentes ao ato de exoneração, do valor correspondente àquele que seria devido a título de contribuição patronal ao Plano de Saúde da categoria, se o servidor estiver a ele vinculado em data anterior à publicação.

Equipe do Castramóvel de Três Lagoas fica a semana na região dos Ranchos

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Três Lagoas, por meio da equipe do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), setor da Diretoria de Vigilância em Saúde e Saneamento, informa à população que a unidade móvel de saúde animal, popularmente conhecida como “Castramóvel”, será instalada na região dos Ranchos do Rio Sucuriú, a partir desta (25).

 

A equipe do CCZ, responsável pelo Castramóvel e coordenada pelo médico veterinário Everton Ottoni, estará instalada nas dependências da Pousada do Sucuriú, naquela região de ranchos, por uma semana, ou seja, no período de 25 a 29 de março, e o atendimento será das 7h30min às 12h30min.

 

 

A ida do Castramóvel para a Pousada do Sucuriú, graças ao apoio do advogado Ruvoney da Silva Otero que gentilmente cedeu o espaço, atende à reivindicação do movimento das “Mães Unidas” ao prefeito Angelo Guerreiro.

 

A equipe do Castramóvel, que também conta com um grupo de estagiários da Faculdade de Medicina Veterinária da AEMS, informa que todos os procedimentos de castração de cães e gatos, somente machos, acima de seis meses de idade, devem ser previamente agendados.

 

 

Além de outras informações que os donos de animais de estimação irão receber sobre os cuidados da saúde dos cães e gatos, como, importância do que significa “posse responsável”, é também válido e oportuno recomendar orientações básicas dos protocolos de procedimentos cirúrgicos de castração.

 

 

“Recomendamos o jejum sólido de comida e ração de cães e gatos por oito (8) horas, anteriores ao horário agendado para a castração”, orientou Everton Ottoni. “O jejum líquido de água ou leite também é necessário, por, pelo menos, seis (6) horas”, completou.

 

Os agendamentos poderão ser feitos no local, junto à equipe, a partir de segunda-feira (25), ou pelos telefones: (67) 3929-1803 ou celular (67) 99200-2638.

 

 

No período em que permaneceu no pátio da Escola Municipal Professora “Maria de Lourdes Lopes”, na Vila Piloto, de 25 de fevereiro a 22 de março, a equipe do CCZ castrou 163 animais machos, entre cães e gatos.

Juntos Por Campo Grande: mobilidade urbana e fim de pontos de alagamentos são algumas das metas da parceria

Soluções para a mobilidade urbana e o fim de pontos de alagamentos estão contemplados no pacote de R$ 169 milhões da 2ª etapa do “Juntos por Campo Grande” – parceria entre Governo de Mato Grosso do Sul e Prefeitura da Capital.

 

Além do recapeamento na avenida Bandeirantes, uma reivindicação de muitos anos, o pacote contempla diversas obras importantes de mobilidade como a avenida Cônsul Assaf Trad, trajeto de quem vai ao Shopping Bosque dos Ipês, e avenida Tamandaré, via de acesso à Universidade Católica Dom Bosco (UCDB).

 

Na Cônsul Assaf Trad, além do recapeamento, a avenida receberá investimento em drenagem para acabar com os problemas de alagamentos próximos ao terminal Nova Bahia. A rua lateral àquela avenida também será pavimentada.

 

 

E para quem vai à UCDB haverá ainda uma nova opção de acesso que ajudará a ‘desafogar’ a avenida Tamandaré, pois o pacote de obras contempla a conclusão da pavimentação da Rua Marechal Câmara. A Universidade já inaugurou uma nova entrada para quem vier por aquela rua.

 

 

Segundo o reitor da UCDB, Pe. Ricardo Carlos, os investimentos beneficiarão cerca de 10 mil alunos e funcionários que diariamente frequentam a instituição: “A pavimentação da Rua Marechal Câmara concluirá a terceira via de acesso ao campus, desafogando consideravelmente o tráfego de veículos principalmente nos horários de entrada e saída das aulas, nos períodos matutino e vespertino. Aguardávamos por essa obra há muito tempo e tenho certeza de que toda população do entorno da faculdade será beneficiada”, disse.

 

Outro investimento importante será a rua Bahia, que também terá o asfalto refeito e receberá um corredor de transporte coletivo. A licitação da empresa que fará o recapeamento está em fase final.

 

O secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fiorese, explicou que essas obras financiadas pela Prefeitura com a Caixa Econômica Federal só estão saindo do papel por conta do investimento do Governo do Estado, no valor de R$ 15 milhões, sendo R$ 9,7 milhões do PAC Pavimentação, R$ 3 milhões do PAC Mobilidade Urbana e R$ 2,3 de revitalização do Anhandui.

 

Secretário Rudi Fiorese explicou que obras estão saindo do papel com a participação do Governo de MS

 

“Conseguimos lançar essas obras graças à contrapartida do Governo do Estado. Se dependesse só dá Prefeitura não conseguiríamos aportar todos os recursos. Esperamos que novas parcerias sejam feitas para lançarmos mais obras na Capital”, disse Rudi.

 

E os investimentos não param por aí. Estão sendo asfaltados diversos bairros, inclusive, Jardim Anache e José Tavares, que não possuíam ruas asfaltadas, segundo o secretário. As obras têm prazo de conclusão de aproximadamente um ano.

 

Merecem ainda destaque a garantia da continuidade de obras como o recapeamento da Euler de Azevedo e das ruas Tenente Lira e do Seminário.

Artesanatos do projeto Dignizar feitos em presídio são comercializados em exposição na cidade de Ponta Porã

A arte aliada à dignidade do trabalho como um meio de atingir a tão sonhada reinserção social de detentos. Com essa proposta, artesanatos confeccionados na Unidade Penal “Ricardo Brandão” estão expostos para comercialização na 45ª Exporã, que acontece até domingo (24.3), no Parque de Exposições “Alcindo Pereira”, em Ponta Porã. A iniciativa é uma parceria entre a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e a Fundação Municipal de Esporte e Cultura (Funcesp).

 

A exposição das peças faz parte do projeto “Dignizar”, que visa demonstrar à comunidade da região trabalhos desenvolvidos por internos nas oficinas dentro do presídio masculino de regime fechado da cidade.  A ação tem como foco a ressocialização do custodiado, por meio da sua valorização, educação e formação profissional, além da ocupação laboral.

 

Servidores penitenciário são voluntários na ação.

De acordo com o diretor da unidade penal, Carlos Eduardo Lhopi Jardim, essa é a primeira vez que os produtos são apresentados ao público em geral e a experiência servirá como um projeto piloto para que os artesanatos também sejam expostos em outras feiras. “A ideia é que seja um trabalho permanente de exposição, que possa envolver outros eventos e espaços da cidade”, explica. ”Assim, além de dar visibilidade ao trabalho, as peças poderão ser comercializadas, garantindo retorno financeiro aos artesãos. É importante que sociedade conheça e, se possível, adquira estes artesanatos”, complementa.

 

O estande está localizado no primeiro pavilhão, próximo ao parque de diversões, sob a responsabilidade de servidores penitenciários voluntários. “É resultado de todo um trabalho em equipe, desde o agente de segurança que cuida para que as oficinas laborais aconteçam à equipe de serviço psicossocial e do administrativo, estão todos os envolvidos”, agradece o dirigente, citando que até a arte e o nome do projeto foram desenvolvidos por um enfermeiro que presta serviço na unidade.

 

O artesanato é uma das várias frentes de trabalho desenvolvidas, que contribuem para a disciplina dos internos, ao mesmo tempo em que possibilita novas perspectivas para quando estiverem em liberdade, reduzindo os índices de reincidência criminal e refletindo em benefícios para toda a sociedade. Atualmente, são 14 oficinas, entre olaria, marcenaria, fábrica de vassouras, costura, etc, que oferecem ocupação laboral a 168 reeducandos.

 

“Nosso foco é possibilitar ocupação produtiva aos nossos custodiados, como exemplo disso, são os internos que estão trabalhando na reestruturação da fachada da nossa unidade, atuaram na construção de novas celas, também trabalham na reforma da delegacia e está programado para realizarem obras no batalhão da Polícia Militar da cidade”, informa Jardim. “O presídio não é um local para apenas cumprimento de pena de restrição da liberdade, é também um espaço em que trabalhamos a transformação dessas pessoas, e, com isso, interrompemos esse ciclo da violência e do crime”.

 

Ao todo, 106 peças, como esculturas, móveis em madeira e artesanato em crochê, estão sendo expostos para venda no stand do estabelecimento prisional, fruto do trabalho de 33 reeducandos envolvidos no projeto Dignizar.

 

Para o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves, a  realização do projeto “Dignizar” e a participação na Exporã e demonstram a “responsabilidade e o amor ao trabalho exercido pela direção e equipe de agentes penitenciários da UPRB”.

Unidades de saúde preparam ações de conscientização contra a tuberculose

Amanhã (24), comemora-se o Dia Mundial de Combate à Tuberculose e as unidades básicas de saúde (UBS) e de saúde da família (UBSF) prepararam, para a próxima semana, várias atividades com o intuito de orientar a população sobre os sinais, sintomas e proporcionar o diagnóstico precoce da doença.

 

Entre os dias 25 e 28, as ações de busca de casos e conscientização da população. Durante o ano, as atividades de combate são contínuas, com o intuito de orientar os usuários do SUS.

 

Na quinta-feira (28), a UBSF Moreninha realiza uma mobilização junto à comunidade na Feira Popular do Bairro, das 16h às 20h. Neste evento, os profissionais da unidade devem promover uma atividade educativa com orientações sobre sinais, sintomas, diagnóstico, tratamento, tratamento e entrega de panfletos.

 

Neste mês de março, o Programa Municipal de Controle da Tuberculose juntamente com as UBS/UBSF e outros parceiros intensificaram as ações em saúde com o objetivo de mobilizar e orientar a população, a fim de interromper a cadeia de transmissão do bacilo.

 

Casos

Dados da Superintendência de Vigilância em Saúde (SVS) da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) de Campo Grande, indicam que foram notificados em 2018, 610 casos da doença. O aumento é expressivo se comparado com ano de 2017, quando foram registrados 297 casos.

 

Todos são passíveis de contrair a tuberculose, porém algumas populações estão mais vulneráveis à doença, tais como: população em situação rua, pessoas usuárias de drogas, pessoas que vivem em grandes aglomerados, asilados e albergados, pessoas as quais vivem em situação de maior vulnerabilidade e exclusão social devido as condições desfavoráveis de moradia e alimentação e até mesmo os profissionais de saúde.

 

O que é a Tuberculose?
A tuberculose é uma doença infecto-contagiosa causada pela actéria Mycobacterium tuberculosis ou Bacilo de Koch (BK) que afeta principalmente os pulmões, mas, também pode ocorrer em outros órgãos do corpo.

Sinais e sintomas: tosse por duas ou mais semanas, com ou sem catarro, cansaço, emagrecimento, febre (vespertina) e suor noturno. É importante que ao perceber alguns destes sinais e sintomas, o paciente procure o serviço de saúde mais próximo de sua casa para coleta do exame de escarro, que pode ser feita no momento da consulta.

Transmissão: é transmitida de pessoa para pessoa. Ao espirrar ou tossir, o doente sem tratamento expele as bactérias nas pequenas gotas de saliva que podem ser aspiradas por outra pessoa, contaminando-a.

Diagnóstico: baseado na busca ativa de casos de pessoas com tosse há mais de 15 dias, sendo ofertado avaliação clínica, exame de escarro e raio x nas unidades de saúde.

Tratamento: é ofertado integralmente pelo SUS em todas as Unidades de Saúde, tendo a duração de seis a nove meses, devendo o paciente ser acompanhado continuamente até a cura com o objetivo de interromper a cadeia de transmissão e evitar possíveis adoecimentos. Vale lembrar que após iniciado o tratamento, as pessoas podem levar uma vida normal no trabalho, na família e na sociedade.

Confira o cronograma de atividades:

UNIDADES DE SAÚDE DATA LOCAL HORÁRIO
UBSF MORENINHA 28/03/19 FEIRA POPULAR DO BAIRRO 18:00H
UBSF VIDA NOVA 28/03/19 SALA DE REUNIAO 7:00H
UBSF AGUÃO 27/03/19 SALA DE ESPERA DA UNIDADE 07:00H
UBS-LAR DO TRABALHADOR 27/03/19 UBS-LAR DO TRABALHADOR 13:00 HRS
UBSF VIDA NOVA 27/03/19 SALA DE REUNIAO 7:00H
UBSF VIDA NOVA 26/03/19 SALA DE REUNIAO 7:00H
UBSF Drº Albino Coimbra Filho 25/03/19 UBSF Drº albino Coimbra Filho 07:00 HS
UBSF SERRADINHO 25/03/19 UNIDADE DE SAÚDE 07:30
UBS CARLOTA 25/03/19 SAGÃO DA UNIDADE 08:00
UBS TIRADENTES 25/03/19 AUDITÓRIO DA UBS TIRADENTES 07:00H
UBSF TRÊS BARRAS 25/03/19 GRUPO DE TABAGISMO NA COMUNIDADE TERAPEUTICA PERPÉTUO SOCORRO 09:00H
UBSF JARDIM SEMINARIO 25/03/19 AUDITÓRIO 07:00H
UBSF AGUÃO 23/03/19 SALA DE ESPERA DA UNIDADE 07:00H
UBSF FERNANDO ARRUDA 23/03/19 UNIDADE INTEGRAL
UBSF SÃO BENEDITO 22/03/19 UNIDADE 7:00H
UBS UNIVERSTARIO 21/03/19 SAGÃO DA UNIDADE 08:00
UBSF SÃO FRANCISCO 21/03/19 SAGUÃO 07:00H
UBSF ZÉ PEREIRA 20/03/19 UBSF 07:00
UBSF ZÉ PEREIRA 20/03/19 ESCOLA LOCAL(CARLOS NGARCIA DE QUEIROZ 13:30
UBSF CIDADE MORENA 20/03/19 GRUPO DE HIPERDIA NA UNIDADE 07:00H
UBSF ITAMARACÁ 20/03/19 GRUPO DE HIPERDIA NA UNIDADE 07:00H
UBS ESTRELA DO SUL 20/03/19 JARDIM IMPERIAL 07:00H
UBSF JARDIM PARADISO 20/03/19 AUDITÓRIO 13:00H
UBSF VILA COX 20/03/19 RECEPÇÃO 8:00H
UBSF MAPE 19/03/19 ASSOCIAÇÃO DE MORADORES SÃO JORGE 08:00H
UBS ESTRELA DO SUL 19/03/19 JARDIM PRESIDENTE 07:00H
UBSF ROCHEDINHO 18/03/19 UNIDADE 13:00H
UBSF JARDIM BATISTÃO 14/03/19 SALA DE ESPERA DA UNIDADE 07:30
UBSF SÃO FRANCISCO 12/03/19 SAGUÃO 07:00H
UBSF SÃO FRANCISCO 12/03/19 SAGUÃO 07:00H
UBS ESTRELA DO SUL 12/03/19 JARDIM CAMPO NOVO 07:00H

Técnicos da Saúde de Corumbá realizam atendimento em aldeia indígena

A Prefeitura Municipal de Corumbá, por intermédio da Secretaria Municipal de Saúde está prestando apoio a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), na realização de Ações voltadas para povos indígenas do Pantanal.

 

Desde o início do ano, um médico, enfermeiro e psicólogo da Rede Municipal acompanham mensalmente, a Sesai até a Aldeia Uberaba. São cerca de 8hs em uma viajem de barco pelo Rio Pantanal, até a ilha Ìnsua, onde vivem os índios Guatós.

 

Nesta última estadia, realizada do dia 11 à 15 de fevereiro, foram realizados cerca de 120 atendimentos, entre consultas e procedimentos. Além de palestra de promoção à saúde para alunos da Escola Porto Índio.

 

Uma idosa de 92 anos foi atendida pelo médico e enfermeira do Município que constataram que ela apresentava um quadro de desnutrição e desidratação. A Senhora foi encaminhada ao Pronto Socorro do Município, e permanece internada na Associação Beneficente de Corumbá.

 

O Secretário de Saúde, Rogério Leite, conta do comprometimento da equipe, “A equipe de saúde que realizou o atendimento inicial está acompanhando de perto o caso. Eles estão fazendo um levantamento dos principais problemas de saúde, para realizarem uma assistência direcionada nas próximas vezes”.

 

O Prefeito Municipal, Marcelo Inues, reforça o compromisso da administração com a população, “Sempre que possível o Município irá apoiar outros órgãos e instituições, no intuito de promover o bem-estar da população”.

 

A Sesai é o órgão responsável por coordenar e executar a Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas.

Empresa de energia é condenada a melhorar os serviços prestados no município de Anaurilândia sob pena de multa

O juiz Bruno Palhano Gonçalves, da comarca de Anaurilândia, região leste do Estado, acolheu o pedido da Defensoria Pública local para condenar a concessionária de energia Elektro Eletricidade e Serviços S.A.  a implementar e comprovar o investimento em melhorias técnicas no prazo de 180 dias, com multa diária de R$ 10 mil, além de deferir tutela de urgência para, no prazo de 30 dias, adequar tensões da rede elétrica nos postes, com multa no mesmo valor. Em laudo feito para a ação, foram detectadas 1.674 interrupções de energia, em um período apurado de quatro anos.

 

Trata-se de uma Ação Civil Pública coletiva, movida pela Defensoria Pública, depois de diversos relatos de consumidores da cidade que pediam providências para que as constantes quedas de energia cessassem e que a qualidade na prestação do serviço melhorasse. Um dos casos relatados foi de um empresário proprietário de um açougue que, diante das inúmeras interrupções no fornecimento de energia elétrica, perdeu 1.600 kg de carne, sofrendo um prejuízo de aproximadamente R$ 12.000,00. Ainda segundo a Defensoria, o próprio Poder Público local é um dos prejudicados, com suspensões de energia que perduram por horas e paralisam o atendimento ao público.

 

Por outro lado, a empresa requerida contestou a ação afirmando, de modo preliminar, a ilegitimidade ativa da Defensoria Pública, a falta de interesse processual e a impossibilidade jurídica do pedido. No mérito, argumentou que está prestando serviço eficiente e adequado, sendo que, desde o início de sua atuação no Município de Anaurilândia, investiu mais meio milhão de reais, cumprindo assim todas as metas de qualidade impostas pela Agência Reguladora (ANEEL).

 

A empresa ainda sustentou que as oscilações e interrupções do fornecimento de energia elétrica são toleradas por lei, até porque as linhas de transmissão estão sujeitas às mais diversas intempéries, de tal forma que nem a utilização de todos os recursos tecnológicos do mundo serão suficientes para evitá-las.

 

Durante o processo, a Agência que regula os serviços prestados no Estado de MS, Agepan, prestou informações para o processo quanto aos indicadores de qualidade dos serviços prestados pela requerida no Município de Anaurilândia, além de ter feito laudo pericial, que foi aceito pelo autor da ação e rechaçado pela empresa ré, que contestou o documento.

 

Em sua decisão, o juiz Bruno Palhano Gonçalves entendeu que o serviço público prestado por empresa com concessão do Poder Público tem natureza essencial e contínua. É pessoa jurídica de direito privado, que presta serviços de fornecimento de energia elétrica e desenvolve atividade de comercialização deste serviço, pelo regime de concessão e mediante contratos de adesão, submetendo-se, perfeitamente, à definição de fornecedor, trazida pelo art. 3º do Código de Defesa do Consumidor.

 

O magistrado disse, ainda, que esta ação presta-se a proteger os direitos dos consumidores em três vertentes fundamentais na prestação dos serviços públicos: continuidade, qualidade e segurança. E que a ANEEL tem as atribuições para estabelecer normas de regulação dos padrões de qualidade dos serviços públicos de energia elétrica, prevendo a responsabilidade da concessionária em realizar investimentos de obras e instalações para assegurar a qualidade dos serviços prestados. “É justamente neste ponto que consiste o cerne da questão objeto do litígio, na medida em que a presente ação coletiva visa compelir a ré a adotar as providências técnicas necessárias para garantir a boa qualidade dos serviços de energia elétrica, prestados aos munícipes de Anaurilândia”, disse.

 

O laudo realizado durante o processo apurou que nos anos de 2003 (início da ação) e 2004, nos perímetros urbanos e não urbano, ficaram dentro da meta estabelecida pela ANEEL. Contudo nos anos de 2009 a 2013, teriam ocorrido 219 interrupções de fornecimento de energia programadas e 1.674, não programadas, entre elas 786 devido a raios, durante tempestades.

 

O magistrado ressaltou que, embora os índices estabelecidos pela ANEEL tenham sido atendidos, não significa que os serviços prestados atenderam às condições de qualidades ao ponto de serem considerados ”adequados”, à luz do Código de Defesa do Consumidor e da própria Lei n.º 8.987/95. “Ao contrário, restou evidente a deficiência técnica dos serviços prestados pela requerida, demonstrada pela própria constatação efetuada pelo perito judicial quanto às interrupções não programadas no período de 2009 a 2013”, disse o magistrado, que salientou que a média apurada nestes quatro anos foi de mais de uma interrupção de energia por dia.

 

Outro ponto do laudo apontou que, entre os anos de 2004 e 2017, 79,96% das interrupções dos serviços decorreram de fatos geradores assim classificados: a) Falha de Material/Equipamento: 23,92%; b) Não Identificada: 17,87%; c) Descarga Atmosférica: 16,80%; d) Não Programada: 13,13%; e) Árvore ou Vegetação: 8,24%.

 

“Verifica-se que o principal causador das interrupções foi a falha no material/equipamento empregado pela empresa ré nas linhas de transmissão, o que evidencia a ausência de utilização de recursos técnicos suficientes para garantir a prestação de um serviço público adequado aos usuários. Importante ponderar que fatos geradores advindos de descargas atmosféricas (raios), que na hipótese estão classificados como terceiro maior agente causador das interrupções, não podem elidir a responsabilidade da requerida, pois, diante da previsibilidade de tais fenômenos naturais, ela tem a incumbência de adotar as medidas técnicas necessárias para que suas redes de energia elétrica estejam protegidas, sob pena inclusive de ser responsabilizada por eventuais danos causados aos usuários do serviço”, finaliza.

 

A ação foi julgada procedente para condenar a empresa na obrigação de fazer consistente na implementação e comprovação das providências técnicas e investimentos para a melhoria da qualidade do serviço de fornecimento de energia elétrica, no prazo de 180 dias, contados do trânsito em julgado, sob pena, em caso de descumprimento, de multa diária no importe de R$ 10.000,00. Além disto, concedeu a tutela de urgência para, no prazo de 30 dias, sob multa diária também de R$ 10.000,00, adotar providências técnicas necessárias para adequar as tensões da rede de energia elétrica instalada nos postes identificados no processo.

 

Ficou decidido, ainda, que na ausência de prestação de informações pela requerida, em eventual fase de execução, incumbirá ao autor comprovar nos autos as ocorrências de interrupções e oscilações, para que a multa arbitrada seja aplicada, a qual será revertida em prol do Fundo de Defesa do Consumidor no âmbito estadual (art. 13 da Lei n.º 7.347/85).