No Centro de Reabilitação de Animais Silvestres, ozonioterapia ajuda na recuperação de onça ferida em incêndio no Pantanal

A onça pintada ferida nos incêndios do Pantanal e trazida no início do mês ao CRAS (Centro de Reabilitação de Animais Silvestres) para tratamento, apresenta melhora significativa e pode retornar ao seu habitat já no início do próximo ano, avalia o veterinário do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) Lucas Cazati. A onça, um macho com cerca de dois anos de idade, vem recebendo tratamento com aplicações de ozônio que tem propriedades cicatrizantes e anti-inflamatórias e o progresso dos ferimentos é visível.

 

O tratamento de ozonioterapia é feito em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul e está sendo ministrado pelos professores Breno Fernandes Barreto e Verônica Borges Babo, que acompanham a evolução da saúde do animal. Além das feridas nas patas, a onça estava muito debilitada e desde que chegou ao CRAS tem recebido alimentação balanceada e já ganhou cerca de 8 quilos.

 

 

Exame de Raio-X detectou a existência de um projetil no tórax do animal, consequência de um tiro que deve ter sofrido há alguns meses, tendo em vista que a pele já está cicatrizada. O metal será retirado em cirurgia simples de rápida recuperação, o que não deve atrasar o retorno da onça ao seu habitat, disse Cazati, que é o responsável técnico do CRAS.

 

Essa onça e outra, com aproximadamente a mesma idade, foram resgatadas por equipes de voluntários no dia 4 de novembro da região da Serra do Amolar, no Pantanal, e trazidas a Campo Grande em um avião da Força Aérea Brasileira. A outra, também um macho, não resistiu e faleceu horas após ter chegado ao CRAS. No exame de necropsia foi detectado que ela também havia sido vítima de tiro, sendo que a bala estava alojada na região do tórax com estilhaços atingindo os pulmões. Apesar do tiro, a morte do animal teve como causa a quantidade elevada de fumaça que inalou durante o incêndio, segundo revelou o exame.

Prefeitura de Campo Grande diz ter estoque de medicamentos, insumos e investe na aquisição de equipamentos

Através de organização e planejamento, a administração municipal tem conseguido manter o estoque de insumos e medicamentos da Rede Pública Municipal de Saúde abastecido e investido na aquisição de novos equipamentos e materiais permanentes para dar melhores condições aos usuários e servidores das unidades de saúde de Campo Grande.

 

A Prefeitura de Campo Grande investiu na aquisição de câmaras de baixa temperatura, desenvolvidas para prever  o controle preciso de temperatura ambiental e conservar vacinas, evitando assim perdas de doses e eventuais contratempos. Parte dos equipamentos chegaram nesta semana no Almoxarifado Central da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) e serão distribuídas  às unidades de saúde.

 

“Recebemos 15 equipamentos de um total de 60 que nós adquirimos para suprir a necessidade de unidades que não possuem geladeiras ou que estão com equipamentos avariados ou obsoletos. A manutenção das temperaturas exatas e uniformes no refrigerador é a peça chave para assegurar a vida útil de vacinas, reagentes e outros biológicos. Pequenas variações de temperatura que ocorrem frequentemente em geladeiras domésticas podem comprometer a eficácia dos biológicos, arriscando a perda de milhares de reais em conteúdo valioso. Por isso, a importância do investimento em um equipamento como este, que nos dá mais segurança e evita que tenhamos problemas”, explica o secretário municipal de Saúde, José Mauro Filho.

 

O equipamento conta com termômetro digital com subdivisão de leituras das temperaturas máxima e mínima diretamente e simultaneamente no mesmo display, que são memorizadas mesmo com o desligamento da câmara e reinício manual, além de sistema eletrônico de travamento que evita alterações inadvertidamente na programação e de monitorização automático de rede, restabelecendo os parâmetros de programação caso ocorra uma variação brusca de energia elétrica.

 

Novos mobiliários médico-hospitalares, como poltrona de hidratação, escada hospitalar, carro tipo maca, cadeiras giratórias e longarinas também foram adquiridos para substituir móveis mais antigos.

 

“Manter a ambiência e uma estrutura adequada nas unidades é muito importante para o acolhimento do paciente e também para os servidores que ali trabalham. Nós pretendemos renovar boa parte do mobiliário das unidades e garantir um melhor conforto a todos”, complementa o secretário.

 

A Rede Municipal de Saúde também está recebendo novos aparelhos de ar condicionado. Ao todo foram adquiridos 89 aparelhos de 12 mil e 24 mil BTUS, para serem instalados nas unidades. O investimento foi de aproximadamente R$170 mil.

 

Estoque abastecido

 

Regularmente, o Município tem feito a reposição de medicamentos essenciais para garantir a continuidade do tratamento de milhares de pacientes atendidos na Rede Municipal de Saúde. Medicamentos como o Carvedilol, que chegaram a faltar por indisponibilidade no mercado, estão entre os itens recebidos recentemente.

 

 

 

Atualmente, o estoque de medicamentos encontra-se 80% abastecido. Um número extremamente expressivo e bem diferente do encontrado há quatro anos, onde o estoque estava abaixo da chamada reserva técnica, ou seja, com menos de 20%.

 

A organização e planejamento despendidos pela gestão têm assegurado que a reposição dos medicamentos seja feita em curto prazo, o que reflete diretamente no que é ofertado à população.

 

“Através dessa organização é possível fazer as previsões e evitar que os medicamentos faltem nas prateleiras das unidades por muito tempo. É claro que existem situação pontuais que muitas vezes fogem do nosso controle, como atraso de entrega, processos burocráticos morosos, por exemplo. Mas, trabalhando desta forma, nós estamos conseguindo garantir que não falte a grande maioria dos medicamentos tidos como essenciais”, complementa José Mauro Filho

 

Nestas “exceções” encontram-se medicamentos e materiais judicializados específicos, como fraldas e dietas, por exemplo,  que podem registrar faltas pontuais, devido a questões burocráticas para aquisição dos mesmos. No entanto, existe um esforço junto aos fornecedores de que haja uma melhor resposta quanto a estas necessidades para evitar que a população fique desassistida.

Em Campo Grande, ‘Mutirão de Limpeza do Parque’ realizado nesta quinta-feira mira criadouros do mosquito Aedes aegypti

Considerado um dos principais cartões postais de Mato Grosso do Sul, a reserva ecológica do Parque dos Poderes recebe nesta quinta-feira (26) o ‘Mutirão de Limpeza do Parque’, como parte da Campanha “Aproveite a Quarentena e Limpe o seu Quintal”, que tem como objetivo o combate à Dengue, Chikungunya e Zika. A concentração será no 6º Grupamento do Corpo de Bombeiros Militar, localizado na Avenida do Poeta, 70.

 

Para o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, a intenção é eliminar possíveis criadouros do Aedes aegypti, mosquito responsável pela transmissão da Dengue, Chikungunya e Zika. “Precisamos tomar cuidado para não deixar nenhum resíduo que acumule água. Mas não basta somente nós retirarmos os resíduos, a manutenção depende da conscientização e a participação de todos que trabalham e daqueles que utilizam o Parque para a prática esportiva”.

 

Segundo a diretora geral de Vigilância em Saúde da SES, Larissa Castilho, a importância da ação é eliminar todos os focos e possíveis de criadouros do mosquito transmissor da Dengue, Zika e Chikungunya no Parque dos Poderes. “Queremos provocar a participação da população na limpeza do seu local de trabalho, com o objetivo da prevenção dessas doenças e educação ambiental”.

 

Como integrante da rede de apoio à Campanha da SES, a Sesau vai disponibilizar cerca de 40 agentes de saúde e de endemias, que deverão auxiliar na limpeza do Parque. Os alvos são copos descartáveis, embalagens de marmita, garrafas pet, entre outros, tudo que possa acumular água e servir de criadouro do mosquito.

Casos de Covid-19 aumentam e Santa Casa de Campo Grande suspende visitas para conter risco de vírus no hospital

Os casos de Covid-19 voltaram a crescer em todo o Brasil e tem preocupado as autoridades de saúde. Mas para quem trabalha na linha assistencial, como é o caso da Santa Casa de Campo Grande, com atendimentos de média e alta complexidade em diversas especialidades, esse aumento de casos preocupa mais, principalmente porque o hospital ainda não se recuperou do impacto da primeira onda.

 

O médico José Roberto de Souza, diretor-técnico do hospital e presidente do Comitê Interno de Enfrentamento à Covid-19, aponta o relaxamento das ações preventivas por parte da população como uma das causas para esse crescimento na média móvel de casos na Capital.

 

“As pessoas começaram a ignorar a presença do vírus e esse relaxamento das medidas de segurança é um dos principais motivos para este crescimento no número de casos. Nos preocupa muito esse avanço da doença e medidas precisam ser tomadas”, comentou o médico.

 

Para conter esse avanço e evitar que a doença se espalhe dentro do hospital, algumas medidas já serão adotadas a partir desta semana, seguindo decisão do Comitê Interno de Enfrentamento à Covid-19 que se reuniu em busca de soluções para ajudar o hospital a passar mais uma vez pela situação.

 

“Temos que tomar medidas e dar exemplo e uma delas é a restrição das visitas aos pacientes internados já a partir desta quinta-feira, dia 26 de novembro. Diminuindo a circulação de pessoas dentro do hospital conseguimos proteger não apenas os pacientes que estão internados por outras comorbidades, mas também o corpo técnico assistencial, ou seja nossos profissionais”, destacou, lembrando que esta foi uma das medidas tomadas na primeira onda de contágio e ajudou a evitar novas contaminações.

 

Dr. José Roberto orienta ainda para a população retomar medidas simples. “Algumas situações passaram a ser ignoradas, como o uso de máscara que segue sendo uma medida que ajuda muito, além da lavagem das mãos com água e sabão, assim com desinfecção com álcool”.

 

Nos últimos dias a taxa de ocupação dos leitos Covid-19 no hospital cresceu de forma acelerada. A Unidade de Terapia Intensiva destinada exclusivamente para pacientes com Covid-19, no dia 13, tinha 20% de ocupação. Já no último sábado atingiu 100% e segue sem vagas. Na enfermaria Covid os números também cresceram, passando de 90% a taxa de ocupação.

 

Suspensão de visitas

 

A partir desta quinta-feira (26 de novembro), as visitas estarão suspensas por tempo indeterminado em enfermarias e UTIs. Os acompanhantes para os casos de pacientes que estão previstos em Lei deverão realizar a troca de turno nos horários das 7h às 9h e das 17h às 19h.

 

Para solicitar informações dos pacientes críticos internados nas Unidades de Terapia Intensiva do hospital, o horário dos pedidos será das 14h às 21h30, no Serviço de Atendimento ao Cliente da Santa Casa de Campo Grande pelo WhatApp 67 98472 5160 (somente mensagens).

Prefeitura de Campo Grande lança na sexta-feira Plano de Recuperação Econômica com medidas a curto e médio prazo

A Prefeitura de Campo Grande lança na sexta-feira (27), nas Moreninhas, o Plano de Recuperação Econômica com medidas de curto e médio prazo para retomar os investimentos públicos e privados e estimular o emprego e a renda da população.

 

O plano se divide em quatro grandes eixos, com obras e investimentos públicos; medidas de desburocratização de empreendimentos privados; incentivos fiscais e acesso ao microcrédito.

 

Os investimentos beneficiarão as sete regiões de Campo Grande, com obras na segurança, saúde, educação, infraestrutura, entre outros.

 

O evento acontece às 9h30, no Parque Jacques da Luz, localizado na Rua Barreiras, s/n – Vila Moreninha III.

Vestibulares da Universidade da Grande Dourados estão com inscrições abertas para cursos noturnos e a distância

Os vestibulares da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) estão com inscrições abertas para 1.842 vagas em 40 cursos de graduação presencial e a distância, para ingresso em 2021. Todos os cursos são gratuitos, ou seja, não é necessário pagar matrícula ou mensalidade, apenas a taxa de inscrição do Vestibular, no valor de R$ 100.

 

 

 

Para quem precisa dividir o tempo entre o trabalho e os estudos, um dos caminhos para investir na formação acadêmica e conquistar um diploma profissional são os cursos em horários alternativos aos compromissos do dia a dia. Na UFGD, dos 40 cursos ofertados, 15 têm aulas presenciais durante a noite e seis são a distância, com atividades mensais nos polos localizados em 12 municípios de Mato Grosso do Sul.

 

Os cursos noturnos são: Administração, Artes Cênicas, Ciências Contábeis, Ciências Econômicas, Direito, Educação Física, Geografia, História, Letras, Matemática, Pedagogia, Química (Licenciatura), Relações Internacionais e Sistemas de Informação.

 

Os cursos a distância são: Ciências Biológicas, Educação Física (Licenciatura), Física, Letras-Libras (Licenciatura e Bacharelado) e Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos.

 

 

Esses cursos estão oferecidos em três vestibulares diferentes:

 

CURSOS PRESENCIAIS NOTURNOS

 

Os 15 cursos noturnos estão entre os 33 cursos do vestibular geral (PSV) e as aulas acontecerão na Unidade 2 (Cidade Universitária – Rodovia Dourados Itahum, km 12). O campus possui Restaurante Universitário com refeições subsidiadas que custam no máximo R$ 3,60 para os estudantes.

Apenas os cursos de Direito e Relações Internacionais estão localizados mais próximos da região central de Dourados, na Rua Quintino Bocaiúva, nº 2.100, esquina com a Rua Manoel Santiago, no Jardim da Figueira.

 

 

Para todos os cursos existem cotas sociais que reservam metade das vagas para estudantes que fizeram todo o ensino médio em escola pública, com recorte sobre a renda familiar, cor/raça – negros (pretos e pardos) e indígenas – e se o candidato é pessoa com deficiência (PCD).

 

As inscrições para este vestibular terminam às 17h de 14 dezembro e devem ser feitas pela internet. As provas serão realizadas no dia 7 de fevereiro, nos locais indicados na confirmação da inscrição (Área restrita do Candidato). O resultado final será divulgado a partir de 26 de março.
Acesse: https://portal.ufgd.edu.br/vestibular/processo-seletivo-vestibular-psv/psv-2021

 

CURSOS A DISTÂNCIA COM POLOS EM MS

 

A UFGD está oferecendo 700 vagas em quatro cursos pelo Vestibular da Faculdade de Educação a Distância (PSEaD): Licenciatura em Ciências Biológicas, Licenciatura em Educação Física, Licenciatura em Física e Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos.

 

Esses cursos terão aulas mediadas pelo Ambiente Virtual Moodle e atividades realizadas mensalmente, no polo de apoio presencial. A UFGD possui polos em 11 municípios: Água Clara; Aparecida do Taboado; Bataguassu; Bela Vista; Camapuã; Costa Rica; Japorã; Miranda; Porto Murtinho; Rio Brilhante e São Gabriel do Oeste. O quadro de distribuição das vagas está no item 3.1 do edital. Os cursos são em parceria com o Sistema Universidade Aberta do Brasil.

 

As inscrições são feitas pela internet e serão encerradas às 17h de 04 de dezembro. A taxa é de R$ 100 e pode ser paga por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU-COBRANÇA), em qualquer agência bancária, durante o expediente do banco.

 

As provas objetiva e de redação serão realizadas das 14h às 18h30 de 10 de janeiro de 2021, no local indicado na confirmação da inscrição (Área Restrita do Candidato), podendo acontecer nos polos ou em Dourados. Também de

acordo com o cronograma, o resultado final será publicado a partir das 17h de 19 de fevereiro.

 

Acesse: https://portal.ufgd.edu.br/vestibular/psead/educacao-a-distancia-2021.

 

CURSOS A DISTÂNCIA EM DOURADOS: LETRAS-LIBRAS (Licenciatura e Bacharelado)

 

Dois vestibulares diferentes oferecem o curso de Letras-Libras, em Dourados, com aulas a distância. A diferença é que um é voltado para quem quer ser professor (Licenciatura) e outro para quem quer ser intérprete (Bacharelado).

 

A Licenciatura com habilitação em Língua Portuguesa-Língua Brasileira de Sinais está em um vestibular específico (PSVLetras-Libras), onde são ofertadas 30 vagas, sendo que pessoas surdas têm prioridade, em respeito ao artigo 4º do Decreto Federal nº 5.626/2005. Havendo vagas remanescentes, a oferta se dará conforme disposição da Lei n.º 12.711/2012, ou seja, metade das vagas serão disponibilizadas para ampla concorrência e outra metade será reservada para estudantes de escola pública.

 

O Bacharelado também está com 30 vagas, mas não tem prioridade para surdos, já que está entre os 33 cursos do vestibular geral (PSV). Esse processo seletivo também usa a Lei n.º 12.711/2012, reservando metade das vagas para estudantes que fizeram todo o ensino médio em escola pública, com recorte sobre a renda familiar e cotas para negros (pretos e pardos), indígenas e pessoas com deficiência.

 

As inscrições para esses vestibulares acontecem até às 17h de 14 dezembro, pela internet. As provas serão realizadas no dia 7 de fevereiro, nos locais indicados na confirmação da inscrição (Área restrita do Candidato). Já o resultado final será publicado a partir de 26 de março.

 

Acesse:
Letras-Libras (Licenciatura): https://portal.ufgd.edu.br/vestibular/letras-libras-ead-licenciatura/psvletras-libras-2021
Letras-Libras (Bacharelado): https://portal.ufgd.edu.br/vestibular/processo-seletivo-vestibular-psv/psv-2021

Com apoio do COPE, presídio do município de Bataguassu retira excesso de pertences das celas e uniformiza detentos

Uma força tarefa entre integrantes do Comando de Operações Penitenciárias (COPE) da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen) e equipe de servidores do Estabelecimento Penal de Bataguassu (EPB), este mês, garantiu a implantação da uniformização de internos do local e retirada do excesso de pertences das celas.

 

De forma ordeira e sem alterações disciplinares, a equipe do COPE realizou a evacuação das celas e contenção do internos, para que os servidores do presídio fizessem a retirada dos materiais e se implantasse os uniformes como única vestimenta permitida na unidade prisional. A ação proporcionou um ambiente mais salubre e organizado à unidade prisional, com a retirada dos excessos de pertences.

 

Comandante Bosco e sua equipe

“Nosso objetivo é a humanização da pena, e com a entrega desses uniformes, e a ação conjunta, também conseguirmos retirar muito lixo das celas; isso está garantindo um melhor ambiente aos nossos custodiados, pois o excesso de pertences causava constantes problemas de saúde, sobre tudo alérgicos e respiratórios”, destaca o diretor em substituição legal do EPB, Luiz Fernando da Silva Jesus, reforçando que todos atuaram com com profissionalismo e responsabilidade.

 

Instituído oficialmente na estrutura da Agepen desde dezembro de 2017, o Comando de Operações Penitenciárias representa força de reação da instituição, com policiais penais altamente treinados para o desenvolvimento de ações de intervenções em unidades penais de Mato Grosso do Sul, como o trabalho realizado no presídio de Bataguassu, garantindo ordem e disciplina nas ações. A equipe também realiza transferências de presos em todo o estado e escoltas de internos.

 

Segundo o comandante do COPE,  João Bosco Correia, os trabalhos são sempre realizados dentro de um rigoroso protocolo de segurança em atendimento aos Procedimentos Operacionais Padrão (POP), que norteia as ações do grupo de forma técnica. “Independente da situação de menor ou maior risco, buscamos sempre oferecer um serviço de qualidade e responsável, com toda a segurança necessária”, assegura o comandante.

 

200 kits de uniformes foram produzidos na oficina de costura instalada da PNav

Dentro dessa perspectiva de que a união faz a força, como no trabalho conjunto com o COPE, a implantação da uniformização na vestimenta dos custodiados do EPB também foi possível graças à parceria com a Penitenciária de Segurança Máxima de Naviraí (PNav), onde as vestimentas foram confeccionadas.

 

 

Concessionária de rodovia tem direito a ser ressarcida de estragos causados por motorista, decide a Justiça

A 13ª Vara Cível de Campo Grande concedeu indenização por perdas e danos a uma concessionária de rodovia no Estado contra motorista que danificou placa de sinalização e defensas metálicas na margem da pista. A decisão determinou aoacusado o ressarcimento das despesas da empresa no conserto dos danos que ele mesmo causou. O condutor do veículo deverá pagar cerca de R$ 3 mil.

 

Segundo os autos do processo, em dezembro de 2015, um automóvel colidiu contra uma placa de sinalização na BR-163, perdendo o controle e chocando-se contra as defensas metálicas na margem esquerda da via. O conserto de todos os estragos na sinalização foi arcado pela concessionária da rodovia, a qual, no entanto, entrou em contato com o motorista, solicitando que a ressarcisse.

 

Como o condutor não se manifestou, a concessionária acionou a justiça e requereu a sua condenação ao pagamento dos gastos com a manutenção da estrada, acrescido de juros e correção monetária. O requerido foi citado e não apresentou contestação, nem propôs acordo na audiência de conciliação.

 

Assim, para o juiz titular da 13ª Vara Cível, Alexandre Corrêa Leite, incidem no caso os efeitos da revelia, especialmente a presunção da veracidade dos fatos alegados, vez que provas foram apresentadas pela requerente.

 

“Com efeito, a autora juntou cópia do boletim de ocorrência policial, do qual conta que o veículo conduzido pelo réu realmente ‘colidiu com uma placa de sinalização, perdeu o controle, colidiu com a defensa do lado oposto da via e tombou’, o que faz presumir que efetivamente tenha causado os danos reportados no orçamento, no valor de R$ 3.072,11 (três mil, setenta e dois reais e onze centavos)”, asseverou.

 

O magistrado ressaltou que a revelia faz presumir, igualmente, que o requerido agiu com culpa ao faltar com os cuidados necessários na condução de seu veículo. “Logo, presentes o ato ilícito, a culpa, o dano e o nexo causal, resta caracterizada a responsabilidade civil do réu e o seu dever de indenizar, levando a procedência do pedido, tal como formulado”, julgou.

Mato Grosso do Sul registra 11 óbitos por coronavírus em apenas 24 horas, segundo a Secretaria de Saúde

Dados do boletim epidemiológico de ontem (24) mostram que em apenas 24 horas a pandemia alcançou patamares expressivos, com 11 óbitos e 777 novos casos confirmados da doença. O relatório é da Secretaria de Estado de Saúde, do Governo do Estado.

 

Com isso, desde o início da pandemia até agora, 93.747 casos foram confirmados e 1.738 mortes pela doença. Em recuperação, 333 pessoas estão internadas, com 188 em leitos clínicos, sendo 99 na rede pública e 89 na rede privada.

 

Na UTI (Unidade Terapia Intensiva), ou seja, em situação mais grave, 84 pessoas estão em leitos do SUS e 61 na rede privada, com 145 pessoas internadas até o momento.

 

De acordo com a SES, em isolamento domiciliar, 7.838 sul-mato-grossenses se recuperam da doença e 83.838 pessoas estão recuperadas.

 

Boletim SES