Em uma semana, Operação Pantanal II reduz de 163 para 40 os focos de incêndio em Corumbá, segundo o Corpo de Bombeiros

Há uma semana o Governo do Estado decretou emergência ambiental no Pantanal e iniciou a Operação Pantanal II de combate às chamas. Neste período os focos de incêndio que somavam 163 no dia 24 de julho, caíram para 40 ontem (31). Os dados são do Corpo de Bombeiros, que coordena a ação.

 

Os dados foram apresentados em reunião de balanço com o secretário Jaime Verruck, titular da Semagro (secretaria estadual de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar). Participaram o Comandante-Geral dos Bombeiros, coronel Joilson, chefe do Centro de Monitoramento animal, tenente-coronel Moreira e o chefe da comunicação, tenente-coronel, Carminatti.

 

Dados foram apresentados durante reunião nesta sexta-feira

Mais de 320 militares e civis estão envolvidos na tarefa de eliminar os focos de calor. A operação conta com o apoio de cinco aeronaves, sendo quatro helicópteros e um avião Hércules C130, fundamentais para levar água para áreas de difícil acesso que estão queimando.

 

Em quatro dias dois helicópteros realizaram 66 investidas. O avião Hércules é capaz de soltar até 12 mil litros de água em cada sobrevoo e fez quatro lançamentos em dois dias. Somadas, as aeronaves foram responsáveis por despejar 71 mil litros de água em áreas com fogo.

 

“Nós fizemos o decreto de emergência ambiental com a clareza da gravidade da situação, e a necessidade de uma articulação institucional. Uma semana depois vemos o empenho de todos os setores envolvidos e os bons resultados obtidos. Teremos meses difíceis pela frente e precisamos dessa ação integrada para minimizar os impactos ambientais”, afirma o secretário Jaime Verruck.

 

A ação integrada conta com apoio do Governo Federal por meio do Ministério da Defesa, Ministério do Meio Ambiente, Forças Armadas com a Marinha, além do Corpo de Bombeiros, Polícia Miliar Ambiental e Ibama.

 

Situação crítica no Pantanal

 

O Corpo de Bombeiros de Mato Grosso do Sul atendeu 661 ocorrências de incêndios florestais em 2020, sendo 58 apenas em Corumbá. O número de atendimentos de janeiro até agora no município é mais que o dobro do mesmo período de 2019 e 2018, quando somavam 28 e 24 respectivamente.

 

Mato Grosso do Sul é classificado como o 5º Estado do país com maior número de focos de calor, porém Corumbá é o primeiro no ranking brasileiro. Os focos de calor por bioma também são muito maiores no Pantanal do que no Cerrado, que ocupa o segundo lugar.

 

De janeiro a julho as queimadas consumiram cerca de 820 mil hectares na região do Pantanal. Somente em julho, a estimativa é de que mais de 180 mil hectares tenham sido devastados pelas chamas.

Destaques