PMA autua caçadores que divulgaram nas redes sociais vídeo e fotos de caçada do abate de capivara, tatu-galinha e javali

A Polícia Militar Ambiental de Dourados autuou ontem (6) três caçadores por ter postado vídeo e fotos nas redes sociais de uma caçada em que aparecem abatendo três animais silvestres. A PMA recebeu o material em denúncia, com um dos caçadores identificando a todos e mostrando um animal silvestre da espécie capivaraum tatu-galinha e um animal exótico da espécie javali, que haviam abatido na caçada.

 

A PMA identificou e localizou os infratores, que confirmaram a autoria do crime, porém, afirmaram não ter utilizado arma de fogo no abate dos bichos. Eles informaram que a caçada ocorrera há menos de duas semanas, nas proximidades do Distrito de Macaúbas, no município de Dourados, a 50 km da cidade, onde todos residem.

 

Os caçadores, de 33, 35 e 54 anos, foram autuados administrativamente e multados em R$ 1.500,00 cada um. Eles também responderão por crime ambiental de caça ilegal, com pena prevista de seis meses a um ano de detenção, aumentada de meio ano, devido o tatu-galinha que consta da lista de espécie em extinção.

Política

Internado, Dias Toffoli apresenta sintomas de covid-19

O Supremo Tribunal Federal (STF) informou ontem (24) que o presidente da Corte, Dias Toffoli, foi internado ontem (23) para a retirada de um “pequeno abscesso”. De acordo com a secretaria de Saúde do tribunal, a cirurgia transcorreu sem problemas, mas Toffoli apresentou sintomas da covid-19 e permanecerá hospitalizado para ser monitorado pelos médicos.   […]