Polícia Militar Ambiental autua agrônomo, arquiteto e empresário mineiros em R$ 3,7 mil por capturar pescado acima da cota

Policiais Militares Ambientais de Coxim receberam no quartel ontem (29) três turistas mineiros, em um veículo Mitsubishi Triton, com uma caixa contendo pescado que teriam capturado no rio Taquari, na região do Barranco Vermelho, para procedimento de vistoria e lacre dos peixes.

 

Quando desceram a caixa para vistoria e lacre obrigatória para o transporte de pescado em Mato Grosso do Sul, os Policiais verificaram que havia 80 exemplares de peixes todos nativos pertencentes às espécies Piraputanga, Jurupoca, Piau, Jurumpensen e Mandi, pesando 26 kg, portanto, acima da cota permitida. Além disso, um exemplar de piraputanga apresentava-se abaixo da medida permitida pelas normas. Os pescadores afirmaram não saber que a cota de captura era de apenas um exemplar de peixe nativo por pescador, mais cinco exemplares de piranha.

 

O pescado ilegal e o veículo foram apreendidos. Os pescadores, de 30, 38 e 45 anos, residentes em Moema (MG) responderão por crime ambiental de pesca e transporte de produto da pesca predatória. A pena é de um a três anos de detenção. Eles também foram autuados administrativamente e multados em R$ 1.220,00 cada um, perfazendo R$ 3.660,00. O pescado será doado para instituições filantrópicas depois de periciado.

Destaques

Política

Maioria dos municípios de MS está em calamidade pública

A presidência da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS) oficializou estado de calamidade pública em mais quatro cidades do Estado. Os Decretos Legislativos 663/2020, 664/2020, 665/2020 e 666/2020 dizem respeito aos municípios de Ribas do Rio Pardo, Bodoquena, Bela Vista e Terenos – respectivamente. Os documentos foram publicados na quinta-feira (9) no Diário Oficial […]