Assomasul assina pacto para redução da mortalidade materna e infantil no lançamento do Bem Nascer

 

Ontem(19), o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, lançou o ‘Projeto Bem Nascer MS’, que visa reduzir a mortalidade materna e infantil em Mato Grosso do Sul.

 

Para as ações do ‘Bem Nascer MS’, R$ 14 milhões foram destinados ao projeto, sendo que R$ 11,6 milhões investidos na compra de 75 aparelhos de ultrassons que foram entregues aos municípios.

 

Para o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, o projeto “Bem Nascer Mato Grosso do Sul” surge para evitar a morte de mulheres grávidas ou no pós-parto, bem como dos bebês recém-nascidos. “Por isso, queremos promover esse fortalecimento do sistema de saúde, melhorando os equipamentos, o transporte e contratando mais profissionais, além de investir na qualificação deles”.

 

O desafio de reduzir os índices de mortalidade materna e infantil não é exclusividade de Mato Grosso do Sul, o Brasil precisa atingir até 2030, metas de redução da mortalidade materna, conforme pactuação definida nos ‘Objetivos do Desenvolvimento Sustentável’ (ODS), considerando morte materna como todos os óbitos que ocorrem durante a gravidez ou até os 42 dias seguintes ao parto, para cumprir acordos firmados com a ONU. A meta é reduzir até 2030, a razão de mortalidade materna para menos de 30 por 100 mil nascidos vivos e também a redução da mortalidade infantil para um único dígito.

 

De acordo com o presidente da Assomasul, Valdir Júnior, essa é mais uma ação do governo que prioriza as pautas municipalistas. “Sem dúvida esse é mais um projeto que prioriza os municípios, fazendo em nosso estado um governo que enaltece e cuida dos municípios”, relata Junior.

 

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, lança nesta sexta-feira (19), às 8h30, na Governadoria, o ‘Projeto Bem Nascer MS’, que visa reduzir a mortalidade materna e infantil em Mato Grosso do Sul. Para fortalecimento das ações do ‘Bem Nascer MS’, R$ 14 milhões foram destinados ao projeto, sendo que R$ 11,6 milhões investidos na compra de 75 aparelhos de ultrassons que serão entregues aos municípios seguindo critérios técnicos de distribuição, além do incentivo financeiro para custeio dos Centros Especializados Materno-Infantil do Estado.

 

Para o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, o projeto “Bem Nascer Mato Grosso do Sul” surge para evitar a morte de mulheres grávidas ou no pós-parto, bem como dos bebês recém-nascidos. “Por isso, queremos promover esse fortalecimento do sistema de saúde, melhorando os equipamentos, o transporte e contratando mais profissionais, além de investir na qualificação deles”.

 

O desafio de reduzir os índices de mortalidade materna e infantil não é exclusividade de Mato Grosso do Sul, o Brasil precisa atingir até 2030, metas de redução da mortalidade materna, conforme pactuação definida nos ‘Objetivos do Desenvolvimento Sustentável’ (ODS), considerando morte materna como todos os óbitos que ocorrem durante a gravidez ou até os 42 dias seguintes ao parto, para cumprir acordos firmados com a ONU. A meta é reduzir até 2030, a razão de mortalidade materna para menos de 30 por 100 mil nascidos vivos e também a redução da mortalidade infantil para um único dígito.

 

Representando todos os prefeitos, Valdir Junior, presidente da Assomasul assinou o Pacto Estadual pela Redução da Mortalidade Materna e Infantil, já a prefeita de Jardim, Cleidiane Areco Matzenbacher representou todos os municípios ao receber a placa simbólica do Projeto Bem Nascer.

 

Embora Mato Grosso do Sul venha reduzindo os índices de mortalidade materna e infantil nos últimos anos, muito ainda pode ser feito para que haja melhora na qualidade dos serviços de saúde e mortes sejam evitadas.

 

O ‘Bem Nascer MS’ tem como madrinha, a primeira-dama do Estado, dona Fátima Azambuja, que terá a missão de promover o engajamento de prefeitas e primeiras-damas como madrinhas municipais deste projeto, assim com toda sociedade convidada a colaborar com esta missão.

 

Assim, Mato Grosso do Sul sai na frente com o lançamento deste projeto tendo clara a missão e definição sobre o ‘Bem Nascer MS’. O Projeto ainda conta com uma plataforma digital que reúne diversas informações como materiais de campanha, informativos, dados sobre mortalidade materna e infantil no Estado. 

Destaques

Política

Pais solteiros recebem R$ 4,1 bi em retroativo do auxílio emergencial

Os pais solteiros chefes de família que receberam as cinco primeiras parcelas do auxílio emergencial em 2020 receberão pagamento retroativo. O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta sexta-feira (24) medida provisória com crédito extraordinário de R$ 4,1 bilhões para o Ministério da Cidadania pagar parcelas antigas em dobro após a derrubada de um veto pelo Congresso Nacional […]